Sem Spoilers: filmes de julho

Rainbow

dhanak_tNone

Título Original: Dhanak

Gênero: Drama

Direção: Nagesh Kukunoor

Ano: 2015

País de Origem: Índia

Sinopse: Em Rajasthan na Índia, Pari (Hetal Gada), uma menina de 10 anos, e Chotu (Krrish Chhabria), seu irmão de 8 anos, moram em uma vila perto das dunas de areia. Eles perderam os pais em um acidente e moram com os tios. Chotu é cego, mas lida bem com a situação, enquanto Pari é os olhos dele, sua guia e melhor amiga. Ainda inocentes, Pari promete a Chotu que ao completar 9 anos ele irá enxergar e, ao ver um cartaz de doação de olhos, ela acredita que encontrará alguém que possa ajudá-la.

Excelente! Diferentes culturas (da nossa e dos EUA) sempre trazem reflexões e aprendizados interessantíssimos e, nesse caso, uma lição de simplicidade, esperança e fraternidade. A cativante história dos irmãos Pari e Chotu nos leva por uma road trip leve e otimista, em meio a dificuldades tão distantes da nossa realidade. Muita música indiana, bom humor, companheirismo e amor pelo cinema. Apaixonante! Super recomendo!

A Incrível Jornada de Jacqueline

344021.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_x-xxyxx

Título Original: La Vache

Gênero: Comédia

Direção: Mohamed Hamidi

Ano: 2016

País de Origem: França

Sinopse: Fatah, um pequeno fazendeiro argelino, só tem olhos para sua vaca Jacqueline, que ele sonha em ver na grande feira de Agricultura, realizada em Paris. Determinado a levar a vaca até lá, ele a carrega consigo e cruza a França à pé, após pegar um barco para Marselha. No caminho, Fatah e Jacqueline vivem uma jornada cheia de surpresas e aventuras.

Divertido, simples e com uma ingenuidade tocante. A Incrível Jornada de Jacqueline e Fatah é cheia de aventura, bom humor e diálogos críticos que te fazem pensar. Há muita força de vontade, esperança e carisma no protagonista. Apesar de alguns clichês, é uma comédia encantadora que valoriza sentimentos essenciais e pouco usuais atualmente, como a tolerância, a solidariedade e a amizade.

Mulheres do Século 20

twozeroth_century_women

Título Original: 20th Century Women

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Mike Mills

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Na Califórnia dos anos 70, uma mãe (Annette Bening) tenta cuidar de sua família da melhor forma possível enquanto também procura respostas para as vidas de suas duas jovens amigas – uma fotógrafa aficcionada pela cultura punk (Greta Gerwig), e uma amiga de seu filho (Elle Fanning).

Três gerações de mulheres se encontram na trama principal desse filme: Dorothea (Anette Bening) com 55 anos, Abbie (Greta Gerwig) perto dos 30 e Julie (Elle Fanning) com 17 anos. É final dos anos 70, o feminismo está no auge, mas a história vai muito além disso, falando sobre a relação de mãe e filho, educação e amadurecimento. Com uma forma diferente de contar, explorando cada personagem, sua idade e contextualizando com o ano de nascimento, somos inseridos no mundo de cada um deles e nos envolvendo de forma única. Sem nada de extraordinário, mas com uma profundidade e força incrível, e embalado por uma trilha sonora espetacular. Uma homenagem a todas as mulheres e mães. Adorei!

A Morte lhe Cai Bem

a4f8eb80ab59e636626720f2f9cc2e60

Título Original: Death Becomes Her

Gênero: Comédia / Fantasia

Direção: Robert Zemeckis

Ano: 1992

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma famosa atriz egocêntrica (Meryl Streep) rouba de uma aspirante a escritora (Goldie Hawn) o noivo (Bruce Willis), um famoso cirurgião plástico. A noiva rejeitada se torna extremamente complexada e gorda, mas após 14 anos ela lança o livro “Eternamente Jovem” e, na noite de autógrafos, está mais linda do que nunca. Despertando a atenção de todos, principalmente da atriz que, sentindo-se cada dia mais velha, acaba indo se consultar com uma mulher sensual, bela e misteriosa (Isabella Rossellini), que tem uma poção da juventude que proporciona resultados inimagináveis. Ao bebê-la, ela fica jovem outra vez e descobre que sua rival também é cliente da feiticeira. Inicialmente elas começam a brigar pelo médico, mas logo as duas estão preocupadas e, de certa forma, unidas contra um terrível efeito colateral.

Uma comédia divertida, com muita fantasia, mas que consegue refletir sobre um tema atemporal: a eterna busca pela juventude. Meryl Streep, premiada e reconhecida por seus papéis dramáticos, está ótima como comediante. E, logo no início do filme, faz uma apresentação musical, cantando e dançando espetacularmente. Uma atriz completa! #soufã *-* Bruce Willis também tem destaque, num papel extremamente cômico e ingênuo. Um ótimo entretenimento com efeitos visuais inovadores que, na época, renderem um Oscar ao filme.

O Mínimo para Viver

to_the_bone

Título Original: To The Bone

Gênero: Drama

Direção: Marti Noxon

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma jovem (Lily Collins) está lidando com um problema que afeta muitos jovens no mundo: a anorexia. Sem perspectivas de se livrar da doença e ter uma vida feliz e saudável, a moça passa os dias sem esperança. Porém, quando ela encontra um médico (Keanu Reeves) não convencional que a desafia a enfrentar sua condição e abraçar a vida, tudo pode mudar.

Um filme bom, sem nada surpreendente, mas que passa muito bem a mensagem sobre anorexia. O grande destaque vai para a atuação da protagonista, Lily Collins, que entrou no personagem, emagreceu e reviveu os medos e desafios desse distúrbio, que já havia sofrido na adolescência. Mesmo sem muita profundidade, é um tema interessante e necessário, que foi tratado de forma bem realista.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de junho

O Contador

o-contador_t108094

Título Original: The Accountant

Gênero: Ação / Suspense / Drama

Direção: Gavin O’Connor

  • Sandy Wexler,

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Desde criança, Christian Wolff (Ben Affleck) sofre com ruídos altos e problemas de sensibilidade, devido ao autismo. Apesar da oferta de ir para uma clínica voltada para crianças especiais, seu pai insiste que ele permaneça morando em casa, de forma a se habituar com o mundo que o rodeia. Ao crescer, Christian se torna um contador extremamente dedicado, graças à facilidade que tem com números, mas antissocial. A partir de um escritório de contabilidade, instalado em uma pequena cidade, ele passa a trabalhar para algumas das mais perigosas organizações criminosas do mundo. Ao ser contratado para vistoriar os livros contábeis da Living Robotics, criada e gerenciada por Lamar Blackburn (John Lithgow), Wolff logo descobre uma fraude de dezenas de milhões de dólares, o que coloca em risco sua vida e da colega de trabalho Dana Cummings (Anna Kendrick).

Surpreendente! Até a metade, é um filme comum, até um pouco cansativo. Depois tem uma sequência acontecimentos que vão te deixando de queixo caído até o final que é, nada menos que UAU! Ótima interpretação de Ben Affleck, de um personagem muito bem construído e cheio de nuances. O roteiro mistura muito bem ação, suspense, espionagem e fala de uma forma interessante sobre o autismo. Muito bom e promete sequência! \o/

A Nona Vida de Louis Drax

ninth_life_of_louis_drax_ver2

Título Original: The 9th Life Of Louis Drax

Gênero: Suspense / Fantasia

Direção: Alexandre Aja

Ano: 2016

País de Origem: EUA / Canadá / Reino unido

Sinopse: Louis Drax (Aiden Longworth) é um garoto brilhante na escola, mas com sérias dificuldades em fazer amigos. Os colegas o consideram estranho e vários acontecimentos sombrios se passam ao seu redor. Ao completar nove anos, ele cai de um abismo e fica em coma. Seu pai (Aaron Paul) logo é apontado como culpado pelo ocorrido, devido a uma discussão durante um piquenique em família. Cabe ao dr. Allan Pascal (Jamie Dornan) cuidar da recuperação de Louis, por mais que sinta-se cada vez mais atraído pela mãe dele (Sarah Gadon).

Um filme cheio de mistérios e reviravoltas, mas superficial e com atuações médias. A história é boa, instigante, o suspense se sustenta, mas algumas situações são muito fantasiosas. As atuações de Aaron Paul e do menino Aiden dão uma elevada no conceito, mas a adaptação do livro de Liz Jensen acaba sendo cansativa e clichê.

Tallulah

tallulah_t124380

Título Original: Tallulah

Gênero: Drama

Direção: Sian Heder

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Lu (Ellen Page), uma jovem independente, teve o seu dinheiro roubado pelo ex-namorado. Pobre e morando em uma van, ela decide procurar a mãe dele, Margo (Allison Janney), que não a conhece e nega ajudar. Em um hotel buscando por comida, Lu conhece uma mãe descuidada para cuidar da sua filha. Lu decide “resgatar” a criança e levá-la até Margo, dizendo que a bebê é a neta dela.

Uma história sobre relações familiares, recomeços e autoconhecimento. Num primeiro momento, achei cansativa e exagerada a protagonista Lu, mas quando ela encontra a Margo, a trama flui e melhora bastante. Os diálogos são bons, o crescimento das personagens é visível e as lições que ambas passam são tocantes. E tem a ótima participação de David Zayas, o Angel de Dexter! *-*

Um Homem Entre Gigantes

um-homem-entre-gigantes_t100665_nO0WKJh

Título Original: Concussion

Gênero: Drama

Direção: Peter Landesman

Ano: 2016

País de Origem: EUA / Reino Unido / Austrália

Sinopse: Dr. Bennet Omalu (Will Smith), neuropatologista forense, diagnostica um severo trauma cerebral em um jogador de futebol americano e, investigando o assunto, descobre se tratar de um mal comum entre os profissionais do esporte. Determinado a reverter o quadro e expor para o mundo a grave situação, ele trava uma guerra contra a poderosa NFL.

Will Smith representa, com esse personagem, claramente a minoria: negro, estrangeiro e levantando dúvidas contra a “inquestionável” NFL. O tema é muito interessante, as atuações são boas, mas falta profundidade ao roteiro. A pesquisa científica sobre essa nova doença entre os atletas é instigante e queremos fazer onde vai chegar, mas falta emoção. Mas gostei! rs

Sandy Wexler

sandy_wexler

Título Original: Sandy Wexler

Gênero: Comédia

Direção: Steven Brill

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Los Angeles, 1990. Sandy Wexler (Adam Sandler) é um agente determinado, empenhado e focado na evolução da carreira de seus excêntricos clientes. Sua rotina, no entanto, é abalada quando ele descobre em um parque de diversões a talentosa cantora Courtney Clarke (Jennifer Hudson), por quem acaba se apaixonando.

Não sou de recusar nenhum filme, exceto terror, então parei para assistir Sandy Wexler. O que falar de Adam Sandler, ele é divertido, às vezes mais, outras menos. Nesse filme, produzido pela Netflix, foi de menos. Destaque para a ambientação anos 90,  os depoimentos de grandes nomes da show business, representando a si mesmos, como Judd Apatow, Chris Rock, Jimmy Kimmel, Guy Oseary, Quincy Jones, Conan O’Brien…e os momentos musicais com Jennifer Hudson.

Relacionamento à Francesa

papa-ou-maman_t102015

Título Original: Papa ou Maman

Gênero: Comédia / Drama / Romance

Direção: Martin Bourboulon

Ano: 2016

País de Origem: França

Sinopse: Florence (Marina Foïs) e Vicent Leroy (Laurent Lafitte) são um casal bem-sucedido. Eles têm três filhos e ótimos empregos. Tudo corre bem, até que ambos recebem propostas de promoção. Com a turbulência e o caos da vida em conjunto, eles decidem se separar, mas nenhum deles quer ficar com a guarda dos filhos.

Uma comédia aparentemente boba, mas que com ótimos atores e um clima francês, torna-se interessante e diferente. Marina Foïs, que eu ainda não conhecia, e Laurent Laffite, de Até a Eternidade  e Elle  formam um excelente casal em pé de guerra e em uma situação incomum: se livrar da guarda dos filhos! Tem algumas situações exageradas, mas, no geral, é bem divertido.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de maio

A Garota no Trem

260x365_1472758065

Título Original: The Girl on the Train

Gênero: Suspense

Direção: Tate Taylor

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Rachel (Emily Blunt), uma alcoólatra desempregada e deprimida, sofre pelo seu divórcio recente. Todas as manhãs ela viaja de trem de Ashbury a Londres, fantasiando sobre a vida de um jovem casal que vigia pela janela. Certo dia ela testemunha uma cena chocante e mais tarde descobre que a mulher está desaparecida. Inquieta, Rachel recorre a polícia e se vê completamente envolvida no mistério.

Baseado no best seller de mesmo nome, A Garota no Trem é instigante e suas personagens femininas muito bem construídas. Com ótimo roteiro e atuações complexas, focando no lado psicológico, ficamos o tempo todo na dúvida do que realmente aconteceu. E o final é surpreendente!  Lembra muito Garota Exemplar – o estilo de narrativa, o clima “frio”, personagens femininas em destaque, reviravoltas – , mas fica abaixo deste.

Cinquenta Tons Mais Escuros

14249703_2095012374057705_4706038040962634016_o

Título Original: Fifty Shades Darker

Gênero: Romance / Drama

Direção: James Foley

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

O segundo filme da trilogia é mais denso e com mais suspense que o anterior. O foco agora são os traumas de Grey e sua “descida do pedestal”, implorando pelo amor de Ana, coisa que ele jamais pensaria fazer antes de se apaixonar por ela. O roteiro foi muito bem adaptado do livro, os protagonistas foram competentes na evolução dos seus personagens e a ótima trilha sonora deu aquele toque especial.

Aliados

allied_ver4

Título Original: Allied

Gênero: Romance / Suspense

Direção: Robert Zemeckis

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo.

Um romance de época, em meio à Segunda Guerra, com um casal de protagonistas espiões impecável: Marion Cottilard e Brad Pitt! O roteiro não tem grandes surpresas, mas as atuações e o figurino ganham destaque. O mistério da personagem de Cotillard ser ou não uma informante se sustenta até o surpreendente e emocionante final. Gostei e recomendo!

Silêncio

silence_ver3_xxlg

Título Original: Silence

Gênero: Drama

Direção: Martin Scorsese

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Século XVII. Dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues (Andrew Garfield) e Francisco Garupe (Adam Driver), viajam até o Japão em uma época onde o catolicismo foi banido. À procura do mentor deles, padre Ferreira (Liam Neeson) os jesuítas enfrentam a violência e perseguição de um governo que deseja expurgar todas as influências externas.

Um bom filme sobre fé, perseverança e perseguição. Um trabalho impactante de Scorsese, com ótimas atuações – destaque para Andrew Garfield, que já havia chamado a minha atenção em Até o Último Homem . Os diálogos levantam diversas questões interessantes sobre religião, mas acaba sendo cansativo e longo demais.

A Vida Secreta das Abelhas

dbe3280f82769be6d3d16fe5ea11efdd

Título Original: The Secret Life Of Bees

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Gina Prince-Bythewood

Ano: 2009

País de Origem: EUA

Sinopse: Carolina do Sul, 1964. Lily Owens (Dakota Fanning) é uma garota de 14 anos atormentada pelas poucas lembranças que tem da mãe falecida em um trágico acidente causado por ela. Decidida a fugir da solidão e do relacionamento complicado com o pai, T. Ray (Paul Bettany), Lily foge de casa com sua empregada Rosaleen (Jennifer Hudson) e segue a única pista que pode levar ao passado de sua mãe numa pequena cidade do interior. Lá ela conhece August (Queen Latifah), a mais velha das irmãs Boatwright, dona de um tradicional apiário da cidade e que também conhece alguns segredos do passado de sua mãe.

A verdade é só metade do caminho. O que importa é o que você vai fazer com ela“.

Adoro a Dakota Fanning, desde Uma Lição De Amor , quando ela fez um papel brilhante com apenas 7 anos de idade. Em A Vida Secreta das Abelhas ela interpreta uma adolescente com uma carga dramática muito forte e passa uma veracidade incrível! Um filme leve, sobre temas pesados como violência doméstica, racismo e rejeição familiar. Lindo e emocionante. Adorei!

A Cabana

15676079_856435967792851_7475692032673102739_o

Título Original: The Shack

Gênero: Drama

Direção: Stuart Hazeldine

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Um homem vive atormentado após perder a sua filha mais nova, cujo corpo nunca foi encontrado, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são encontrados em uma cabana nas montanhas. Anos depois da tragédia, ele recebe um chamado misterioso para retornar a esse local, onde ele vai receber uma lição de vida.

Prepare-se para chorar. Muito!!! Baseado no best seller homônimo, de William P. Young, o filme foi muito bem adaptado e é fiel ao livro. A história te faz refletir sobre muitas coisas, mas principalmente sobre o perdão. De forma lúdica, a trama vai se desenrolando e te envolvendo a ponto de você não saber se tudo aquilo é real ou só imaginação do protagonista. E a resposta depende da interpretação de cada um. Algumas cenas foram um pouco exageradas e, o principal ponto negativo pra mim, foi a escolha do ator, o inexpressivo Sam Worthington. Mas Octavia Spencer toma conta da maioria das cenas e dá um show!

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de abril

Pulp Fiction – Tempo de Violência

d22d5b70159b7441335c05baee666736

Título Original: Pulp Fiction

Gênero: Policial / Suspense

Direção: Quentin Tarantino

Ano: 1994

País de Origem: EUA

Sinopse: Vincent Vega (John Travolta) e Jules Winnfield (Samuel L. Jackson) são dois assassinos profissionais que trabalham fazendo cobranças para Marsellus Wallace (Ving Rhames), um poderosos gângster. Vega é forçado a sair com a garota do chefe, temendo passar dos limites; enquanto isso, o pugilista Butch Coolidge (Bruce Willis) se mete em apuros por ganhar luta que deveria perder.

Um clássico de um diretor que virou gênero e que popularizou o modo não-linear de contar uma história, de forma atrativa e com o toque especial de violência sarcástica tão característica dele. Tramas independentes que se ligam de um jeito único, com uma trilha sonora em sintonia para cada momento e recheado de cenas que marcaram o cinema e são referência até hoje. Sem querer ser clichê, até porque demorei muuuuito tempo pra vê-lo, mas, sim, é um filme necessário.

Zodíaco

40a3d84b15ea4b680e5f964f480ad5a7

Título Original: Zodiac

Gênero: Suspense

Direção: David Fincher

Ano: 2007

País de Origem: EUA

Sinopse: 1º de agosto de 1969. Três cartas diferentes chegam aos jornais San Francisco Chronicle, San Francisco Examiner e Vallejo Times-Herald, enviadas pelo mesmo remetente. A carta enviada ao Chronicle trazia a confissão de um assassino e as três juntas formavam um código que supostamente revelaria a identidade do criminoso. O assassino exigia que as cartas fossem publicadas, caso contrário mais pessoas morreriam. Um casal de Salinas consegue decodificar a mensagem, mas é Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), um tímido cartunista, quem descobre sua intenção oculta: uma referência ao filme “Zaroff, o Caçador de Vidas” (1932). Os assassinatos e as cartas se sucedem, provocando pânico na população de San Francisco.

Mais um filme que estava na minha lista há tempos e ficou abaixo das expectativas. Baseado na história real de um serial killer, a história vai mostrando toda a investigação para descobrir quem estava por trás dessas mortes em San Francisco. O elenco é ótimo, personagens super estruturados, mas acaba sendo longo e arrastado. Vai ver eu não estava no clima, pois só li críticas favoráveis e a fama do diretor é excelente, com os ótimos “Garota Exemplar”, “Millennium: Os Homens Que Não Amavam as Mulheres”, “O Curioso Caso de Benjamin Button”, “O Quarto do Pânico” e por aí vai!

Atirador

b0b42bc0809c763f7f85187f36270366

Título Original: Shooter

Gênero: Ação

Direção: Antoine Fuqua

Ano: 2007

País de Origem: EUA

Sinopse: Bob Lee Swagger (Mark Wahlberg) é um ex-atirador de elite dos Marines, que se afastou do trabalho após uma traição. Isolado em um refúgio remoto nas montanhas, Bob é encontrado pelo coronel aposentado Isaac Johnson (Danny Glover). Johnson lhe diz que o país precisa de sua ajuda, já que a vida do presidente está em risco e apenas suas habilidades em tiro de longa distância podem impedir que esta ameaça se concretize. Inicialmente relutante, Bob aceita o trabalho. Porém logo ele descobre que tudo é na verdade uma armação patrocinada por Johnson.

Cheio de clichês, mas é um bom filme de ação, que prende do início ao fim e com uma ótima atuação de Mark Wahlberg. Não é imprescindível, mas vale o entretenimento.

A Cor de um Crime

043f48aca4c63d0b1da3a883999d44f5

Título Original: Freedomland

Gênero: Policial / Drama

Direção: Joe Roth

Ano: 2006

País de Origem: EUA

Sinopse: Durante a madrugada, em um subúrbio de classe média de Nova Jersey, uma mulher ensanguentada aparece muda e estupefata no Centro Médico de Dempsy. Ela é Brenda Martin (Julianne Moore), que, após ser tratada contra choque e histeria, conta ao detetive Lorenzo Council (Samuel L. Jackson) o que lhe aconteceu. Brenda diz que foi levada de carro para uma pista isolada em uma área não-construída, que divide os conjuntos habitacionais de Dempsy. Inicialmente ela diz que foi obrigada a sair do carro por um homem negro, o que não convence o detetive. Ele pressiona Brenda e, após horas de interrogatório, ela diz que Cody (Marlon Sherman), seu filho de 4 anos, estava no banco traseiro do carro. Motivados pela ativista Karen Collucci (Edie Falco), integrantes das comunidades de Dempsy e de Gannon se unem para procurar Cody, que está desaparecido. Porém as investigações em torno deste suposto sequestro fazem com que surjam tensões raciais entre integrantes das comunidades.

Um suspense muito bem arquitetado e cheio de reviravoltas, um pouco confusas, por vezes, mas que não deixam a trama decair, principalmente pelas ótimas atuações de Julianne Moore e Samuel L. Jackson. Denso e impactante, o filme tem o foco no racismo e na história contada por uma mãe desesperada, que te deixa com a pulga atrás da orelha: será que é verdade?

Ferrugem e Osso

69971061ef1df5c5f3f2c12e0a5182eb

Título Original: De rouille et d’os

Gênero: Drama

Direção: Jacques Audiard

Ano: 2013

País de Origem: França / Bélgica

Sinopse: Alain (Matthias Schoenaerts) está desempregado e vive com o filho, de apenas cinco anos. Ele parte para a casa da irmã em busca de ajuda e logo consegue um emprego como segurança de boate. Um dia, ao apartar uma confusão, ele conhece Stéphanie (Marion Cotillard), uma bela treinadora de orcas. Alain a leva em casa e deixa seu cartão com ela, caso precise de algum serviço. O que eles não esperavam era que, pouco tempo depois, Stéphanie sofreria um grave acidente que mudaria sua vida para sempre.

Como recomeçar, depois que perdemos o chão? Ótimo drama francês sobre amor e dor, sem apelar. Cenas realistas, duras e nada romanceadas mexem com o nosso interior de forma diferente. Atuações incríveis de Marion Cotillard, como sempre, e Matthias Schoenaerts, que formam uma dupla problemática, mas com uma força verdadeira para enfrentar as adversidades. Destaque também para a fotografia solar e natural deslumbrante.carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de janeiro

Façam suas apostas, pois está aberta a temporada do Oscar 2017!!! \o/

Desde a última edição da premiação, estou me dedicando e conseguindo assistir à maioria dos filmes indicados antes da entrega das estatuetas. Sempre admirei essas premiações, mas sem ter assistido aos filmes ficava sem graça, sem sentido. Agora fico na torcida, concordo ou discordo dos críticos, então… se cuidem Glória Pires e Rubens Ewald Filho!!! 😛

Oscars 2016 GIF - Find & Share on GIPHY

La La Land: Cantando Estações

15966310_1572691639412632_346467659249607089_n

Título Original: La La Land

Gênero: Comédia / Musical / Romance

Direção: Damien Chazelle

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Um musical com ritmo, e não me refiro às danças, mas às grandes atuações dos protagonistas, que tem uma ótima química e se entregam verdadeiramente aos seus papéis. O filme não se trata apenas de cantoria, tem ótimos diálogos e importantes silêncios que te colocam na pele dos personagens e te fazem sentir as frustrações diante de tantos “nãos” que a vida dá. Sonhadores entenderão! Ponto extra para a belíssima fotografia, ao colorido que invade a tela e às referências a tantos clássicos, como “Cantando na Chuva”, o casal dançante Fred Astaire e Ginger Rogers, “Amor Sublime Amor”e “Moulin Rouge”. Nostálgico e encantador!

É um dos favoritos ao Oscar, concorrendo em 13 categorias.

Sully – O Herói do Rio Hudson

sully_t125300

Título Original: Sully

Gênero: Biografia / Drama

Direção: Clint Eastwood

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: 15 de janeiro de 2009. Logo após decolar do aeroporto de LaGuardia, em Nova York, uma revoada de pássaros atinge as turbinas do avião pilotado por Chesley “Sully” Sullenberger (Tom Hanks). Com o avião seriamente danificado, Sully não vê outra alternativa senão fazer um pouso forçado em pleno rio Hudson. A iniciativa é bem sucedida, com todos os 150 passageiros a bordo sendo salvos. Tal situação logo transforma Sully em um grande herói nacional, o que não o isenta de enfrentar um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos.

Muitos fatores contribuíram para o sucesso prévio desse filme: história real, Tom Hanks, Nova York e Clint Eastwood. Mas, apesar de ótimo, não foi suficiente para grandes indicações, ficando apenas com a de Melhor Edição de Som. Tom Hanks é indiscutivelmente um grande ator, ele sabe interpretar seus personagens com maestria e, neste caso, colocando o fator humano em evidência. E ainda teve o apoio de Aaron Eckhart (co-piloto Jeff) que formaram uma dupla e tanto! O roteiro não tem muito a dizer, mas a direção de Clint é impecável, conduzindo a trama entre vai e vens no tempo, muito bem conectados e com objetividade. Sou suspeita, sou fã… adorei! 🙂

Zootopia – Essa Cidade é o Bicho

zootopia-essa-cidade-e-o-bicho_t84397_archkw2

Título Original: Zootopia

Gênero: Animação

Direção: Byron Howard / Rich Moore

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Judy Hopps é a pequena coelha de uma fazenda isolada, filha de agricultores que plantam cenouras há décadas. Mas ela tem sonhos maiores: pretende se mudar para a cidade grande, Zootopia, onde todas as espécies de animais convivem em harmonia, na intenção de se tornar a primeira coelha policial. Judy enfrenta o preconceito e as manipulações dos outros animais, mas conta com a ajuda inesperada da raposa Nick Wilde, conhecida por sua malícia e suas infrações. A inesperada dupla se dedica à busca de um animal desaparecido, descobrindo uma conspiração que afeta toda a cidade.

Fazia tempo que eu não me empolgava tanto com uma animação! Uma história linda e divertida sobre superação, realização de sonhos e de encontrar amizade e lealdade onde menos se espera. E ainda faz uma ótima crítica ao preconceito, racismo, classes sociais, drogas, autoritarismo, machismo e por aí vai. Uma excelente reflexão embalada por uma música que é pura energia e encorajamento: “Try Everything”, da Shakira. Super recomendo! *-*

Já ganhou o Globo de Ouro, Critic Choice e concorre ao Oscar de Melhor Animação.

A Luz Entre Oceanos

a-luz-entre-oceanos_t85434

Título Original: The Light Between Oceans

Gênero: Drama / Romance

Direção: Derek Cianfrance

Ano: 2016

País de Origem: EUA / Reino Unido / Nova Zelândia

Sinopse: Austrália, após a Primeira Guerra Mundial. Tom Sherbourne (Michael Fassbender) é um veterano da guerra contratado para trabalhar em um farol, que orienta os navios exatamente na divisão entre os oceanos Pacífico e Índico. Trata-se de uma vida solitária, já que não há outras casas na ilha. Logo ao chegar Tom é apresentado a Isabel Graysmark (Alicia Vikander), com quem logo se casa. O jovem casal rapidamente tenta engravidar, mas Isabel enfrenta problemas e perde dois bebês – o que, inevitavelmente, provoca traumas. Até que, um dia, surge na ilha em que vivem um barco à deriva, contendo o corpo de um homem e um bebê. Tom deseja avisar as autoridades do ocorrido, mas é convencido por Isabel para que enterrem o falecido e passem a cuidar da criança como se fosse sua filha, já que ninguém sabia que ela tinha tido um aborto. Mesmo reticente, Tom concorda com a proposta.

Uma narrativa clássica de um romance à beira do precipício. Como não enlouquecer vivendo tão isoladamente? Como conviver com a culpa de uma mentira? Ótima atuação de Fassbender e, principalmente, da Alicia Vikander nesse drama delicado, que toca lá no fundo e te deixa ora de um lado ora de outro da situação. Gostei!

Um Limite Entre Nós

fences-1

Título Original: Fences

Gênero: Drama

Direção: Denzel Washington

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Nos anos 50, Troy Maxson (Denzel Washington) tenta criar os filhos e cuidar da família da melhor maneira possível. Mas a tarefa não é fácil. Ele sonhou em ser jogador de baseball e virou coletor de lixo. Para piorar, a relação com o filho mais velho é complicada.

Baseada na peça homônima, de 1987, que teve uma nova versão em 2010 protagonizada pelo próprio Denzel Washington, “Um Limite Entre Nós” é uma aula de atuação. Viola Davis (Rose – a esposa) e Denzel combinam muito e dão um show. Ela como a resignada e paciente matriarca da época, que mantém o equilíbrio da família. Ele com suas múltiplas faces – amargo, depressivo, amigável, apaixonado – e com discursos intermináveis, mas longe de serem cansativos. (Oscar de melhor decoreba goes to… 😛 ). Senti um pouco a falta de trilha sonora, mas não compromete o filme. Muito bom e cheio de reflexões!

Concorre ao Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado, além de já ter dado a Viola o Globo de Ouro, o SAG Award e o Critic Choice nessa mesma categoria e a Denzel Washongton o SAG Award de Melhor Ator Principal.

Moonlight: Sob a Luz do Luar

moonlight-web_72dpi

Título Original: Moonlight

Gênero: Drama

Direção: Barry Jenkis

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Black (Trevante Rhodes) trilha uma jornada de autoconhecimento enquanto tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas de Miami. Encontrando amor em locais surpreendentes, ele sonha com um futuro maravilhoso.

Uma história sobre autoconhecimento. Chiron, o protagonista, passa por 3 fases da vida (infância, adolescência e adulta) tentando sobreviver e se achar no mundo, escondido atrás de uma sociedade preconceituosa. Até a metade do filme, na adolescência do personagem, o filme é cativante e muito emocionante. Mas depois o longa parece que desanda, fica monótono, perde o brilho.

Já ganhou o Globo de Ouro de Melhor Filme Dramático, SAG Award de Melhor Ator Coadjuvante (Mahershala Ali) e concorre a 8 categorias do Oscar, incluindo a de Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante e Atriz Coadjuvante.

Manchester à Beira-Mar

mv5bmtyxmjk0ndg4ml5bml5banbnxkftztgwodcynja5ote-_v1_sy1000_cr00674_hkeogky

Título Original: Manchester by The Sea

Gênero: Drama

Direção: Kenneth Lonergan

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar para sua cidade natal com o objetivo de tomar conta de seu sobrinho adolescente após o pai (Kyle Chandler) do rapaz, seu irmão, falecer precocemente. Este retorno ficará ainda mais complicado quando Lee precisar enfrentar as razões que o fizeram ir embora e deixar sua família para trás, anos antes.

Extremamente profundo. Toca em feridas que nem são nossas, mas sentimos como se fossem. Uma tristeza reprimida que choca e abala, sem ser melodramático. O protagonista, muito bem interpretado por Casey Affleck, transmite toda essa angústia dos traumas que vivenciou em poucas palavras e expressões. Não considero Casey um ótimo ator, mas acredito que esse papel se encaixou perfeitamente. Um filme recheado de flashbacks, que contam pequenas histórias diante de cada situação atual e engrandecem ainda mais a história. Muito bom!

Concorre ao Oscar de Melhor Filme, Diretor, Ator, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante e Roteiro Original.

Interrogation

visaranai_movie_release_posters_6db1997

Título Original: Visaaranai

Gênero: Drama / Suspense / Policial

Direção: Vetri Maaran

Ano: 2015

País de Origem: Índia

Sinopse: Um grupo de imigrantes estão passando por uma tremenda injustiça. Eles foram detidos pela polícia, torturados e forçados a admitir um crime que não cometeram. Mas, quando todas as suas esperanças parecem ter se perdido, um policial de sua cidade natal depõe e finalmente consegue libertá-los. Mas o real problema começa quando o policial pede um favor em troca.

Baseado numa história real, o filme impacta pela violência, injustiça e pelos cenários sujos e tristes de um lugar corrupto. É uma crítica social ao sofrimento e descaso aos imigrantes. A ingenuidade dos protagonistas e a relação entre eles em se ajudar é tão doce e cativante, que contrasta e se sobressai a todo o cenário cruel e ficamos o tempo todo torcendo por eles. Adorei! E algumas curiosidades sobre o cinema indiano: tem um intervalo no meio do filme, todas as cenas com alguém fumando aparece um alerta “proibido fumar” e as cenas com sangue ficam em preto e branco.

Representante indiano no Oscar 2017, mas não entrou nos 5 finalistas de Melhor Filme Estrangeiro. 😦

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de dezembro

Freud

tutta-colpa-di-freud_t97260

Título Original: Tutta Colpa di Freud

Gênero: Comédia

Direção: Paolo Genovese

Ano: 2014

País de Origem: Itália

Sinopse: O protagonista é um psicanalista (Marco Giallini), pai de três filhas em crise: uma lésbica frustrada tentando se tornar heterossexual (Anna Foglietta), uma jovem de dezoito anos de idade com um homem maduro (Laura Adriani), uma bibliotecária atraído por um ladrão de livros (Vittoria Puccini). Todos os três acabam no escritório do pai para falar sobre seus problemas.

Uma comédia leve e divertida que toca em pontos importantes dos relacionamentos amorosos e familiares, com ironia, veracidade e bom humor. Do mesmo diretor de Perfetti Sconosciuti e com alguns mesmos atores, a história flui e encaixa muito bem os personagens, com diálogos certeiros e boas surpresas.

Sete Homens e Um Destino

sete-homens-e-um-destino_t106153_b1wfbec

Título Original: The Magnificent Seven

Gênero: Faroeste / Ação / Aventura

Direção: Antoine Fuqua

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Refilmagem do clássico faroeste Sete Homens e um Destino (1960), que por sua vez é um remake de Os Sete Samurais, de Akira Kurosawa. Os habitantes de um pequeno vilarejo sofrem com os constantes ataques de um bando de pistoleiros. Revoltada com os saques, Emma Cullen (Haley Bennett) deseja justiça e pede auxílio ao pistoleiro Sam Chisolm (Denzel Washington), que reúne um grupo especialistas para contra-atacar os bandidos.

Faroeste mais do mesmo! Ok, é um remake, mas esperava mais de um filme com Denzel Washington. A trama é superficial e não trouxe novidades. Bang, bang pra cá e pra lá que não contribui em nada no andamento da história e acaba ficando cansativo.

Uma Nova Chance Para Amar

the-face-of-love_t66745

Título Original: The Face Of Love

Gênero: Drama / Romance

Direção: Arie Posin

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Após o marido morrer afogado em uma praia mexicana, Nikki (Annette Bening) fica devastada. Cinco anos depois, ela ainda sente falta do marido, por mais que tenha seguido adiante em uma carreira de sucesso como decoradora de imóveis que estão prestes a serem vendidos. Um dia, ela encontra por acaso um homem parecidíssimo com seu grande amor: Tom (Ed Harris). Impressionada com a semelhança, Nikki resolve segui-lo e descobre que ele é professor de artes. Logo ela o contrata para que lhe dê aulas particulares de pintura, de forma que esteja sempre por perto. Não demora muito para que eles engatem um romance, por mais que a imagem do finado esteja sempre estampada no rosto de Tom.

Um romance maduro, bem clichê, mas com sentimento e fortes emoções. Imagina encontrar alguém que é a cara de alguém que já se foi? Coincidência, destino, loucura…seja o que for, você vai querer se aproximar, saber mais, reviver! Ótimas interpretações da dupla Annete Bening e Ed Harris e aquela pontinha de saudade ao ver Robin Williams em um dos seus últimos papéis.

O Maior Amor do Mundo

mother-s-day_t127122

Título Original: Mother’s Day

Gênero: Comédia / Romance

Direção: Garry Marshall

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Nesta comédia romântica, várias histórias associadas à maternidade se cruzam: Sandy (Jennifer Aniston) é uma mãe solteira com dois filhos, Bradley (Jason Sudeikis) é um pai solteiro com uma filha adolescente, Jesse (Kate Hudson) tem uma história complicada com a sua mãe, Kristin (Britt Robertson) nunca conheceu a sua mãe biológica e Miranda (Julia Roberts) é uma escritora de sucesso que abre mão de ter filhos para se dedicar à carreira.

Depois do dia dos namorados (Valentine’s Day / Idas e Vindas do Amor) e do réveillon (New Year’s Eve / Noite de Ano Novo), Garry Marshal conta novas histórias cruzadas em uma data comemorativa: o dia das mães. É clichê, tem umas besteiras, mas é leve e muito divertido. Não tem como não rir com Jennifer Aniston e Kate Hudson! Curti, ri muito e tem as famosas cenas finais de making off! 😉

O Que os Homens Falam

b388142a507d65532873e36ab6e14e2f

Título Original: Una Pistola En Cada Mano

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Cesc Gay

Ano: 2014

País de Origem: Espanha

Sinopse: Oito homens enfrentam a crise de meia-idade neste filme de episódios. E. (Eduardo Fernandez), que perde tudo o que tem e volta a morar na casa da mãe, se encontra casualmente com um amigo de longa data, J. (Eduardo Sbaraglia), que conquista tudo o que deseja, mas fica deprimido. S. (Javier Camara) tenta retomar o casamento dois anos após o divórcio. G. (Ricardo Darín) confessa a L. (Luis Tosar) que desconfia que sua esposa o trai. P. (Eduardo Noriega) tenta seduzir uma colega de trabalho. Já A. (Alberto San Juan) e M. (Jordi Mollà) têm seus segredos íntimos revelados.

Pode parecer banal no começo, mas logo as histórias ganham forma e um ótimo tom de humor e veracidade sobre o que os homens geralmente não falam (ou falam entre si, não sei! rs). Todo e elenco masculino se destaca, apesar de Ricardo Darín e Javier Cámera serem os mais conhecidos. Um ótimo retrato do universo masculino, tão pouco explorado no cinema.

O Poder e a Lei

9a2f2d6d94e0ffdba1161180e0f223a3

Título Original: The Lincoln Lawyer

Gênero: Suspense / Drama

Direção: Brad Furman

Ano: 2011

País de Origem: EUA

Sinopse: Mick Haller (Matthew McConaughey) é um advogado diferente, a começar pelo seu local de trabalho devidamente instalado no banco de trás de seu carro, um automóvel modelo Lincoln. Separado da competente promotora Maggie (Marisa Tomei), ambos possuem uma filha e tudo corria bem com ele defendendo pequenos conflitos, mas um dia um caso importante caiu em suas mãos e ele estava disposto a provar a inocência do réu, um jovem milionário (Ryan Phillippe) acusado de assassinato. Só que ele não imaginava seu cliente escondendo a verdade, o que pode tornar todo o processo numa causa perdida.

Matthew McConaughey está ótimo nessa trama cheia de suspense e reviravoltas. Um ótimo filme de tribunal que te prende do começo ao fim e de te deixa sempre em dúvida quanto à inocência do acusado.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de novembro

Jogo do Dinheiro

jogo-do-dinheiro_t84097_qcf7t4w

Título Original: Money Monster

Gênero: Suspense

Direção: Jodie Foster

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Lee Gates (George Clooney) é o apresentador do programa de TV “Money Monster”, onde dá dicas sobre o mercado financeiro mesclando com performances típicas de um popstar. Um dia, um desconhecido (Jack O’Connell) invade o programa exatamente quando ele está sendo gravado e, com um revólver, obriga Lee a vestir um colete repleto de explosivos. Patty Fenn (Julia Roberts), a produtora do programa, imediatamente ordena que o mesmo saia do ar, mas o invasor exige que ele permaneça ao vivo, caso contrário matará Lee. Assim acontece e, a partir de então, tem início uma investigação incessante para descobrir quem é o sequestrador e algum meio de salvar todos os que permanecem no estúdio. Paralelamente, a audiência do programa sobe sem parar e todos passam a acompanhar o que acontecerá com o apresentador.

Investimentos, bolsa de valores, ações… não são meus temas preferidos, mas Jogo do Dinheiro consegue envolver, principalmente pelas boas atuações do elenco. A trama faz uma eficaz  crítica ao capitalismo e ao sensacionalismo da tv, mas eu esperava mais de um filme dirigido por Jodie Foster e protagonizado por George Clooney e Julia Roberts.

Filho de Saul

o-filho-de-saul_t122081

Título Original: Saul Fia

Gênero: Guerra / Drama / Suspense

Direção: László Nemes

Ano: 2016

País de Origem: Hungria

Sinopse: 1944, campo de concentração de Auschwitz, durante a Segunda Guerra Mundial. Saul (Géza Röhrig) é um judeu obrigado a trabalhar para os nazistas, sendo um dos responsáveis em limpar as câmaras de gás após dezenas de outros judeus serem mortos. Em meio à tensão do momento e às dificuldades inerentes desta tarefa, ele tenta salvar o corpo de um menino.

Filme húngaro vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro deste ano, Filho de Saul choca. Pelas imagens da barbárie do holocausto, mesmo que desfocadas e pela intensa atuação do protagonista, que precisa agir mecanicamente e sem reação ou expressão diante dos horrores da guerra. É um filme bem difícil de lidar e também cansativo, pois a câmera acompanha sempre o protagonista, como se fôssemos os olhos dele, então é instável demais. A motivação de Saul ao encontrar o menino, fazendo de tudo para dar a ele um enterro digno é muito boa, mas o desfecho não leva a lugar algum. Não assisti todos os concorrentes ao Oscar nesta categoria, mas Mustang era o meu preferido.

Capitão Fantástico

captain-fantastic_t97241

Título Original: Captain Fantastic

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Matt Ross

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Ben é o pai de seis crianças pequenas, que decide fugir da civilização e criar os filhos nas florestas selvagens do Pacífico Norte. Ele passa os seus dias dando lições às crianças, ensinando-os a praticar esportes e a combater inimigos. Um dia, no entanto, Ben é forçado a deixar o local e retornar à vida na cidade. Começa o aprendizado do pai, que deve se acostumar à vida moderna.

Capitão Fantástico é fantástico! *-* Um road movie indie que te pega de jeito e te faz refletir por dias pela mensagem profunda e inteligente que passa. Fotografia lindíssima, figurinos excêntricos e diálogos cativantes que te fazem se apaixonar por essa família incomum. E tem uma cena musical encantadoramente emocionante, que vai ser difícil de ser superada por algum outro filme esse ano. (#vamosacompanhar) Uma história diferente que toca não pela impossibilidade do modo de viver daquela família “fantástica”, mas porque nos mostra que a maneira que vivemos já cansou e que, não precisamos ser radicais, mas encontrar um adequado meio termo. Recomendadíssimo e necessário.  ❤

Suíte Francesa

suite-francaise_t69832

Título Original: Suite Française

Gênero: Drama / Guerra / Romance

Direção: Saul Dibb

Ano: 2016

País de Origem: Reino Unido, França, Bélgica, Canadá

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, na França, Lucile Angellier (Michelle Williams) passa os dias junto de sua sogra (Kristin Scott Thomas) esperando pelo retorno do marido, um prisioneiro de guerra. Enquanto alguns combatentes franceses retornam para a casa, o pequeno vilarejo onde Lucile mora começa a ser invadido por soldados alemães, incluindo o refinado Bruno von Falk (Matthias Schoenaearts). Apesar de resistir aos flertes do soldado, Lucile acaba cedendo e inicia uma relação amorosa com ele.

Inspirado em manuscritos de Irène Némirovsky, possivelmente baseados em fatos que presenciou no campo de concentração e, aproximadamente 60 anos depois achados pela filha que lançou o livro homônimo, Suíte Francesa retrata a guerra de um ponto de vista diferente. Em meio a invasões, angústias e medos, o amor pode acontecer! A ambientação nos anos 40 é ótima e as atuações contidas, como pedem os personagens, mas impecáveis. Um filme cheio de dilemas e emoções verdadeiras, só senti falta do idioma francês. Gostei!

Desconhecido

a3cdd51f36eda6782758211df11319e7-2

Título Original: Unknown

Gênero: Suspense / Ação

Direção: Jaume Collet-Serra

Ano: 2011

País de Origem: Reino Unido, Alemanha, França, Canadá, EUA, Japão

Sinopse: Martin Harris (Liam Neeson) acabou de sair de um coma de quatro dias, fruto de um acidente de carro em Berlim.  Ao acordar, descobre que sua esposa (January Jones) não o reconhece e, para piorar, existe um outro homem (Aidan Quinn) usando sua identidade. Ignorado pelas autoridades e na mira de assassinos, sua única chance de desvendar este mistério é contar com Gina (Diane Kruger), uma motorista de táxi que poderá ajudá-lo a provar que ele não está louco.

Um dos meus filmes de ação com o Liam Neeson preferidos! A história é ótima, tem um suspense na medida e te deixa instigado pelo desfecho, sempre em dúvida sobre quem realmente é Martin Harris. Tem clichê de ação típica de Hollywood, claro, mas convence e tem boas surpresas.

carolwerner3