Sem Spoilers: filmes de maio

A Garota no Trem

260x365_1472758065

Título Original: The Girl on the Train

Gênero: Suspense

Direção: Tate Taylor

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Rachel (Emily Blunt), uma alcoólatra desempregada e deprimida, sofre pelo seu divórcio recente. Todas as manhãs ela viaja de trem de Ashbury a Londres, fantasiando sobre a vida de um jovem casal que vigia pela janela. Certo dia ela testemunha uma cena chocante e mais tarde descobre que a mulher está desaparecida. Inquieta, Rachel recorre a polícia e se vê completamente envolvida no mistério.

Baseado no best seller de mesmo nome, A Garota no Trem é instigante e suas personagens femininas muito bem construídas. Com ótimo roteiro e atuações complexas, focando no lado psicológico, ficamos o tempo todo na dúvida do que realmente aconteceu. E o final é surpreendente!  Lembra muito Garota Exemplar – o estilo de narrativa, o clima “frio”, personagens femininas em destaque, reviravoltas – , mas fica abaixo deste.

Cinquenta Tons Mais Escuros

14249703_2095012374057705_4706038040962634016_o

Título Original: Fifty Shades Darker

Gênero: Romance / Drama

Direção: James Foley

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Incomodada com os hábitos e atitudes de Christian Grey (Jamie Dornan), Anastasia (Dakota Johnson) decide terminar o relacionamento e focar no desenvolvimento de sua carreira. Ele, no entanto, não desiste tão fácil e fica sempre ao seu encalço, insistindo que aceita as regras dela. Tal cortejo acaba funcionando e ela reinicia o relacionamento com o jovem milionário, sendo que, aos poucos, passa a compreender melhor os jogos sexuais que ele tanto aprecia.

O segundo filme da trilogia é mais denso e com mais suspense que o anterior. O foco agora são os traumas de Grey e sua “descida do pedestal”, implorando pelo amor de Ana, coisa que ele jamais pensaria fazer antes de se apaixonar por ela. O roteiro foi muito bem adaptado do livro, os protagonistas foram competentes na evolução dos seus personagens e a ótima trilha sonora deu aquele toque especial.

Aliados

allied_ver4

Título Original: Allied

Gênero: Romance / Suspense

Direção: Robert Zemeckis

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Em uma missão para eliminar um embaixador nazista em Casablanca, no Marrocos, os espiões Max Vatan (Brad Pitt) e Marianne Beausejour (Marion Cotillard) se apaixonam perdidamente e decidem se casar. Os problemas começam anos depois, com suspeitas sobre uma conexão entre Marianne e os alemães. Intrigado, Max decide investigar o passado da companheira e os dias de felicidade do casal vão por água abaixo.

Um romance de época, em meio à Segunda Guerra, com um casal de protagonistas espiões impecável: Marion Cottilard e Brad Pitt! O roteiro não tem grandes surpresas, mas as atuações e o figurino ganham destaque. O mistério da personagem de Cotillard ser ou não uma informante se sustenta até o surpreendente e emocionante final. Gostei e recomendo!

Silêncio

silence_ver3_xxlg

Título Original: Silence

Gênero: Drama

Direção: Martin Scorsese

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Século XVII. Dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues (Andrew Garfield) e Francisco Garupe (Adam Driver), viajam até o Japão em uma época onde o catolicismo foi banido. À procura do mentor deles, padre Ferreira (Liam Neeson) os jesuítas enfrentam a violência e perseguição de um governo que deseja expurgar todas as influências externas.

Um bom filme sobre fé, perseverança e perseguição. Um trabalho impactante de Scorsese, com ótimas atuações – destaque para Andrew Garfield, que já havia chamado a minha atenção em Até o Último Homem . Os diálogos levantam diversas questões interessantes sobre religião, mas acaba sendo cansativo e longo demais.

A Vida Secreta das Abelhas

dbe3280f82769be6d3d16fe5ea11efdd

Título Original: The Secret Life Of Bees

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Gina Prince-Bythewood

Ano: 2009

País de Origem: EUA

Sinopse: Carolina do Sul, 1964. Lily Owens (Dakota Fanning) é uma garota de 14 anos atormentada pelas poucas lembranças que tem da mãe falecida em um trágico acidente causado por ela. Decidida a fugir da solidão e do relacionamento complicado com o pai, T. Ray (Paul Bettany), Lily foge de casa com sua empregada Rosaleen (Jennifer Hudson) e segue a única pista que pode levar ao passado de sua mãe numa pequena cidade do interior. Lá ela conhece August (Queen Latifah), a mais velha das irmãs Boatwright, dona de um tradicional apiário da cidade e que também conhece alguns segredos do passado de sua mãe.

A verdade é só metade do caminho. O que importa é o que você vai fazer com ela“.

Adoro a Dakota Fanning, desde Uma Lição De Amor , quando ela fez um papel brilhante com apenas 7 anos de idade. Em A Vida Secreta das Abelhas ela interpreta uma adolescente com uma carga dramática muito forte e passa uma veracidade incrível! Um filme leve, sobre temas pesados como violência doméstica, racismo e rejeição familiar. Lindo e emocionante. Adorei!

A Cabana

15676079_856435967792851_7475692032673102739_o

Título Original: The Shack

Gênero: Drama

Direção: Stuart Hazeldine

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Um homem vive atormentado após perder a sua filha mais nova, cujo corpo nunca foi encontrado, mas sinais de que ela teria sido violentada e assassinada são encontrados em uma cabana nas montanhas. Anos depois da tragédia, ele recebe um chamado misterioso para retornar a esse local, onde ele vai receber uma lição de vida.

Prepare-se para chorar. Muito!!! Baseado no best seller homônimo, de William P. Young, o filme foi muito bem adaptado e é fiel ao livro. A história te faz refletir sobre muitas coisas, mas principalmente sobre o perdão. De forma lúdica, a trama vai se desenrolando e te envolvendo a ponto de você não saber se tudo aquilo é real ou só imaginação do protagonista. E a resposta depende da interpretação de cada um. Algumas cenas foram um pouco exageradas e, o principal ponto negativo pra mim, foi a escolha do ator, o inexpressivo Sam Worthington. Mas Octavia Spencer toma conta da maioria das cenas e dá um show!

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de agosto

Legião

a7487f93a7d85c5edc577696acb6ed09_1_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Legion

Gênero: Suspense

Direção: Scott Charles Stewart

Ano: 2010

País de Origem: EUA

Sinopse: Deus perdeu a fé na humanidade e enviou o anjo Michael (Paul Bettany), juntamente com uma legião de anjos, para dar início ao apocalipse. Entretanto, ao chegar Michael resolve se opor às ordens recebidas e proteger os humanos. O palco da batalha será no interior dos Estados Unidos, onde fica uma lanchonete gerenciada por Bob Hanson (Dennis Quaid) e seu filho Jeep (Lucas Black). Juntamente com Charlie (Adrianne Palicki), uma garçonete grávida, e Percy Walker (Charles S. Dutton), eles precisam encontrar um meio para sobreviver aos anjos que desejam exterminá-los a todo custo.

Não me perguntem por que assisti esse filme, já que há tempos eu evito o gênero terror (pra mim, o suspense indicado aí em cima está bem pesado… O.O). Claro que não assisti sozinha e, apesar do medo, gostei! Tem boas atuações, ótima fotografia e uma história sobrenatural, mas cheia de verdades.

Estão Todos Bem

3657c3734deef0aff0e82f15cfcf6c1c_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Everybody’s Fine

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Kirk Jones

Ano: 2010

País de Origem: EUA / Itália

Sinopse: Frank Goode (Robert De Niro) sempre trabalhou em uma fábrica de cabos telefônicos, dedicando sua vida a sustentar a família. Aposentado e viúvo há oito meses, ele aguarda a vinda dos quatro filhos – David (Austin Lysy), Robert (Sam Rockwell), Rosie (Drew Barrymore) e Amy (Kate Beckinsale) -, espalhados em várias cidades, para um churrasco em família. Entretanto, de última hora eles desmarcam o compromisso. Querendo vê-los, Frank desobedece a recomendação de seu médico e decide visitá-los em suas casas. É quando descobre que há algo de errado em suas vidas.

A difícil relação de pais e filhos é o tema central dessa emocionante história. O pai, que não era tão próximo aos filhos, tinha na esposa esse elo da relação. Mas agora que ela se foi, como atravessar esse abismo? E por causa dessa distância, aparentemente “estão todos bem”, mas é só se aproximar pra ver que não é bem assim. Robert De Niro dá um show, como sempre, com um personagem verossímil e com uma sensibilidade real nos diálogos.  Aliás, toda a história é muito realista, nos identificamos demais. Super recomendo!

Sete Vidas

sete-vidas_t6211_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Seven Pounds

Gênero: Drama

Direção: Gabriele Muccino

Ano: 2008

País de Origem: EUA

Sinopse: Ben Thomas (Will Smith) é um agente do imposto de renda que possui um segredo trágico. Por conta disso, ele é um homem que tem um grande sentimento de culpa, o que faz com que salve as vidas de completos desconhecidos. Porém, tudo muda quando ele conhece Emily Posa (Rosario Dawnson), pela primeira vez é Ben quem tem a chance de ser salvo.

Filme denso, com muitas peças de um grande quebra-cabeça pra encaixar, que aos poucos vão sendo apresentadas. Nada é óbvio, mas com idas e vindas no tempo, vamos montando a trama. Com um roteiro inteligente e atuações emocionantes, a história sobre bondade e redenção traz uma linda lição de vida. Assistam e se preparem pra chorar.

Memórias Secretas

memorias-secretas_t103375_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Remember

Gênero: Drama

Direção: Atom Egoyan

Ano: 2015

País de Origem: Canadá

Sinopse: Aos 80 anos, Zev (Christopher Plummer) aceita uma missão incumbida pelo seu colega de asilo, Max Zucker (Martin Landau): deixar o local em que vive em busca de um antigo guarda nazista. Seu objetivo é, mesmo após tantas décadas, puni-lo pelo assassinato de sua família durante a Segunda Guerra Mundial. Só que, ao longo da jornada, Zev precisa lidar com falhas de memória causadas pela idade avançada.

Um drama muito bem amarrado, que retrata um pouco da história de Auschwitz, mas o foco está na delicada eimplacável jornada de Zev, brilhantemente interpretado por Christopher Plummer. Em busca de vingança e da própria memória, o protagonista enfrenta adversidades, comete alguns erros e encara uma reviravolta incrível no final, completamente surpreendente. Muito bom!

E.T. – O Extraterrestre

d7678375d318c413a298b04b6b18993f_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: E.T. The Extra-Terrestrial

Gênero: Ficção / Aventura

Direção: Steven Spielberg

Ano: 1982

País de Origem: Canadá

Sinopse: Um garoto faz amizade com um ser de outro planeta, que ficou sozinho na Terra, protegendo-o de todas as formas para evitar que ele seja capturado e transformado em cobaia. Gradativamente, surge entre os dois uma forte amizade.

Não lembro se já tinha assistido por completo esse filme na infância, mas relembrei de poucas cenas. Super clássico dos anos 80, E.T. entrou pra história do cinema e encantou (e ainda encanta!) muitas gerações. Um filme atemporal e completamente inovador pra época, conta a história de uma amizade mágica e fascinante. Spielberg, mais uma vez, mostrou que sabe fazer um entretenimento com qualidade. Filme obrigatório! 😉

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de maio

Que Horas Ela Volta?

que-horas-ela-volta_t104058_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Que Horas Ela Volta?

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Anna Muylaert

Ano: 2015

País de Origem: Brasil

Sinopse: A pernambucana Val (Regina Casé) se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino (Michel Joelsas) vai prestar vestibular, Jéssica (Camila Márdila) lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. Os chefes de Val recebem a menina de braços abertos, só que quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente, como não deveria, a situação se complica.

Um filme brasileiro que chamou minha atenção pelas críticas positivas, mas não foi tudo isso. A trama é boa, as situações implícitas de submissão da empregada doméstica aos patrões ricos são bem desenvolvidos até certo ponto, depois desanda. O que se sobressai é a boa atuação de Regina Casé.

Capitão América: Guerra Civil

capitao-america-guerra-civil_t93414_1ZIsJit_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Captain America: Civil War

Gênero: Ação / Fantasia

Direção: Anthony Russo e Joe Russo

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Steve Rogers (Chris Evans) é o atual líder dos Vingadores, super-grupo de heróis formado por Viúva Negra (Scarlett Johansson), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Visão (Paul Bettany), Falcão (Anthony Mackie) e Máquina de Combate (Don Cheadle). O ataque de Ultron fez com que os políticos buscassem algum meio de controlar os super-heróis, já que seus atos afetam toda a humanidade. Tal decisão coloca o Capitão América em rota de colisão com Tony Stark (Robert Downey Jr.), o Homem de Ferro.

Super heróis não são o meu forte, mas depois de Superman e Batman, o Iron Man é o que mais simpatizo. Ele é ótimo! E não é tanto pelo super herói ou pelos poderes, mas pela atuação impecável, bem humorada e muito, muito sarcástica de Roberto Downey Jr. Por ele vale o filme. E as cenas em que ele contracena com o jovem Spider Man são impagáveis! 😀

Três Corações

trois-coeurs_t79367_1_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: 3 Coeurs

Gênero: Drama / Romance

Direção: Benoít Jacquot

Ano: 2015

País de Origem: França / Alemanha / Bélgica

Sinopse: Após perder o trem de volta para Paris, Marc (Benoît Poelvoorde) encontra Sylvie (Charlotte Gainsbourg) em uma cidade provincial francesa. Eles andam pelas ruas até de manhã, conversando sobre tudo, menos sobre suas vidas pessoais. A química entre os dois é muito forte, mas Marc tem que pegar o trem. Então, ele combina um reencontro, alguns dias depois. Mas, por causa de imprevistos, os dois não se veem. Marc acaba conhecendo Sophie (Chiara Mastroianni) e se aproxima dela, sem saber que ela é irmã de Sylvie.

A proposta do filme é muito boa, o clima francês e a fotografia dão um tom sensível a essa história de encontros e desencontros, com um destino inusitado. Somos levados pela angústia dos personagens, mas a trama segue sem grandes atrativos. Vale pela ótima atuação de Charlotte Gains e a participação de Catherine Deneuve.

Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

hoje-eu-quero-voltar-sozinho_t44735_15_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho

Gênero: Drama / Romance

Direção: Daniel Ribeiro

Ano: 2014

País de Origem: Brasil

Sinopse: Leonardo (Guilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.

Gostei muito do curta-metragem “Eu Não Quero Voltar Sozinho”, que foi uma prévia deste filme, do mesmo diretor e com os mesmos atores. O filme acaba sendo um pouco arrastado, mas não menos sensível e com uma abordagem muito interessante e leve sobre a adolescência, a deficiência física e o amor. Uma história simples, com demonstrações de puro afeto nas relações familiares, de amizade e namoro.

Um Presente para Helen

418104abe211ae451dbc614a39b3fc73_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Raising Helen

Gênero: Comédia

Direção: Garry Marshall

Ano: 2004

País de Origem: EUA

Sinopse: Em Nova York, Helen Harris (Kate Hudson) está fazendo o que sempre sonhou ao trabalhar em uma grande agência de modelos. Sua carreira está em ascensão, com Helen passando seus dias em desfiles de modas e as noites se divertindo nas mais badaladas discotecas. No entanto seu estilo de vida sofre uma enorme transformação ao saber que sua irmã, Lindsay Davis (Felicity Huffman), e o cunhado Paul (Sean O’Bryen) morreram e, por precaução, já tinham escolhido Helen como tutora dos seus filhos caso algo lhes acontecesse. Ela então se vê responsável pelos sobrinhos Audrey (Haden Panettiere), de 15 anos; Henry (Spencer Breslin), de 10 anos; e Sarah (Abigail Breslin), de 5 anos. Ninguém duvida que Helen é a tia mais legal da cidade, mas a grande verdade é que nada sabe sobre criar crianças. Helen logo descobrirá que suas noitadas acabaram, pois agora seu ritmo de vida é ditado pelos sobrinhos. Isto a faz tomar sérias decisões, mas o que ninguém entende é por qual razão ela foi escolhida para cuidar das crianças, pois Jenny Portman (Joan Cusack), sua outra irmã, é uma pessoa que nasceu para cuidar dos filhos.

Garry Marshall é expert em comédias românticas, vide aos ótimos “Noite de Ano Novo”, “Noiva em Fuga” e “Uma Linda Mulher”. Mas “Um Presente para Helen” é só bom, o destaque está na atuação da sempre carismática Kate Hudson e na fofura de um dos primeiros papéis de Abigail Breslin no cinema, com 8 anos! ❤

Flashdance – Em Ritmo de Embalo

476a59b8d4741a233e55fa48ff96b8a8_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Flashdance

Gênero: Drama / Romance / Musical

Direção: Adrian Lyne

Ano: 1983

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma jovem (Jennifer Beals) de garra e talento não mede esforços para realizar o sonho de se tornar uma bailarina. Para tanto, durante o dia ela trabalha como operária e à noite solta seu corpo no ritmo alucinante das discotecas.

“Uauuu…enfim vou ver esse super clássico” … foi o que pensei! ¬¬ Que decepção… roteiro fraco e interpretações péssimas. “Embalos de Sábado a Noite” e “Footloose”, filmes do mesmo gênero e época, são infinitamente melhores. O que salva é a trilha sonora e a cena da dança final, ao som de “What a Feeling”, um dos hits dos anos 80.

The Lobster

the-lobster_t87733_ERSTGJr_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: The Lobster

Gênero: Ficção / Drama

Direção: Yorgos Lanthimos

Ano: 2015

País de Origem: Grécia / Reino Unido / Irlanda / França / Holanda / EUA

Sinopse: Em um futuro próximo, uma lei proíbe que as pessoas fiquem solteiras. Qualquer homem ou mulher que não estiver em um relacionamento é preso e enviado ao Hotel, onde terá 45 dias para encontrar um(a) parceiro(a). Caso não encontrem ninguém, eles são transformados em um animal de sua preferência e soltos no meio da floresta. Neste contexto, um homem se apaixona em plena floresta – algo proibido, de acordo com o sistema.

Bizarro resume! O filme é repleto de metáforas e sarcasmo, em várias situações é possível traçar paralelos com a vida real, mas é tudo tão sem noção, tudo tão estranho que fica difícil assimilar. Me lembrou um pouco “A Vila”. Ótima atuação de Colin Farrel, ele realmente entrou no personagem e nos leva por essa história excêntrica. Quer um filme diferente? Tá aqui!

Rua Cloverfield, 10

rua-cloverfield-10_t24360_jpg-large_290x478_upscale_q90Título Original: 10 Cloverfield Lane

Gênero: Ficção / Suspense

Direção: Dan Trachtenberg

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma jovem (Mary Elizabeth Winstead) sofre um grave acidente de carro e acorda no porão de um desconhecido. O homem (John Goodman) diz ter salvado sua vida de um ataque químico que deixou o mundo inabitável, motivo pelo qual eles devem permanecer protegidos no local. Desconfiada da história, ela tenta descobrir um modo de se libertar — sob o risco de descobrir uma verdade muito mais perigosa do que seguir trancafiada no bunker.

Um ótimo filme de suspense, que te deixa em dúvida até o final sobre o que está acontecendo fora daquele esconderijo subterrâneo. Até que ponto podemos acreditar nas supostas loucuras de Howard (John Goodman)? Michelle (Mary Elizabeth Winstead) está a salvo ou a perigo lá dentro? Seguimos os passos dela a todo instante nesse thriller psicológico e eletrizante, tentando desvendar cada pequena pista encontrada. E o final, com toda a certeza, vai dividir opiniões. Foi bom, mas eu esperava algo diferente.

Mamãe

mommy_t87052_1_png_290x478_upscale_q90Título Original: Mommy

Gênero: Drama

Direção: Xavier Dolan

Ano: 2015

País de Origem: Canadá

Sinopse: Canadá, 2015. Diane Després (Anne Dorval) é surpreendida com a notícia de que seu filho, Steve (Antoine-Olivier Pilon), foi expulso do reformatório onde vive por ter incendiado a cafeteria local e, com isso, provocado queimaduras de terceiro grau em um garoto. Os dois voltam a morar juntos, mas Diane enfrenta dificuldades devido à hiperatividade de Steve, que muitas vezes o torna agressivo. Os dois apenas conseguem encontrar um certo equilíbrio quando a vizinha Kyla (Suzanne Clément) entra na vida de ambos.

Um filme diferente, mas dos bons! Daqueles que fazem refletir e pensar sobre a vida, sobre as atitudes diante dos problemas. Filmado em grande parte no formato 1:1 (sim, você vai ver uma imagem quadrada), causa um estranhamento inicial, mas logo nos acostumamos e percebemos o significado. E nos momentos que a tela expande é tão mágico e lindo, que transmite toda a sensação dos personagens. Um drama profundo, impactante e, ao mesmo tempo, encantador, com atuações fortes e uma impecável trilha sonora.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de abril

Batman vs Superman: A Origem da Justiça

batman-vs-superman-a-origem-da-justica_t80724_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Batman vs Superman: Dawn Of Justice

Gênero: Ação / Fantasia

Direção: Zack Snyder

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: O confronto entre Superman (Henry Cavill) e Zod (Michael Shannon) em Metrópolis fez com que a população mundial se dividisse acerca da existência de extra-terrestres na Terra. Enquanto muitos consideram o Superman como um novo deus, há aqueles que consideram extremamente perigoso que haja um ser tão poderoso sem qualquer tipo de controle. Bruce Wayne (Ben Affleck) é um dos que acreditam nesta segunda hipótese. Sob o manto de um Batman violento e obcecado, ele investiga o laboratório de Lex Luthor (Jesse Eisenberg), que descobriu uma pedra verde que consegue eliminar e enfraquecer os filhos de Krypton.

Não sou fanática por super heróis, mas Batman e Superman são os que mais acompanho desde a infância, em desenho animado, séries e filmes. Então fui conferir o primeiro filme que uniu os dois e gostei muito! Apesar de ter um amontoado de informações, mesmo pra mim que não sou expert no assunto, ficou tudo bem explicado. Cenas de ação, drama e humor foram bem dosadas e as atuações não deixaram a desejar. Cumpriu com as expectativas e agora é aguardar a sequência! 😉

300

acfc8fdb632954558e4301a0e8f14cba_1_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: 300

Gênero: Ação / Guerra / Épico / História

Direção: Zack Snyder

Ano: 2007

País de Origem: EUA

Sinopse: Grécia, 480 AC. Na Batalha de Termópilas, o rei Leônidas (Gerard Butler) e seus 300 guerreiros de Esparta lutam bravamente contra o numeroso exército do rei Xerxes (Rodrigo Santoro). Após três dias de muita luta, todos os espartanos são mortos. O sacrifício e a dedicação destes homens uniram a Grécia no combate contra o inimigo persa.

Ainda não tinha assistido o tão falado “300” – por sua grandiosidade, por retratar a história de Esparta e pela atuação de Rodrigo Santoro – pois não é um gênero que me atrai. Mas fui conferir, na parceria. A produção e os efeitos visuais, realmente, são imponentes, mas também exagerados e a história não me prendeu.

Truman

truman_t110494_8lYbOZD_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Truman

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Cesc Gay

Ano: 2016

País de Origem: Espanha / Argentina

Sinopse: Dois amigos de infância, separados por um oceano, se encontram depois de muitos anos. Eles passam uns dias juntos, lembrando os velhos tempos e grande amizade que se manteve com os anos, tornando-os inesquecíveis, devido o seu reencontro ser também o último adeus.

Adorável! Um filme emocionante e super divertido, pra chorar rindo (e rir chorando!). Uma história simples que se torna grande pelas incríveis atuações de Ricardo Darín e Javier Cámara. Um tema extremamente delicado, mas tratado com ótimo humor, deixa tudo leve e realista, nos aproximando demais desses personagens. E a relação do protagonista com o cachorro (que dá nome ao filme) é de uma sensibilidade tocante. Amei e recomendo muito!

Confirmação

confirmation_t118372_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Confirmation

Gênero: Drama / Biografia

Direção: Rick Famuyiwa

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: O juiz Clarence Thomas (Wendell Pierce) é nomeado para o importante cargo de Juiz da Suprema Corte dos Estados Unidos, substituindo outro juiz negro. Mas na hora da validação junto aos outros juízes, uma ex-funcionária na faculdade, a professora de direito Anita Hill (Kerry Washington), acusa-o de tê-la assediado sexualmente dez anos atrás. Na ausência de provas, o caso gera um escândalo no país, suscitando debates sobre o papel das mulheres na política, o abuso de poder no sistema americano e as questões raciais nas altas instâncias do governo.

Um bom filme que se passa de forma cronológica, retratando muito bem os anos 90, época em que a história real aconteceu. Gostei da atuação de Kerry Washington, bem distante da sua Olivia Pope da série Scandal. E apesar de muitos críticos falarem que ficaram em dúvida se a acusação de assédio foi verdadeira, em momento algum eu senti isso. Pra mim, Anita Hill tinha razão. Não tem nada de espetacular na trama, mas serve para conhecer melhor a história e, mesmo sem um veredito, como o caso mudou a história, criando oportunidades e dando força para a mulher nos EUA.

O Juiz

the-judge_t77486_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Judge

Gênero: Drama

Direção: David Dobkin

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Advogado de muito sucesso, Hank Palmer (Robert Downey Jr.) volta à cidade em que cresceu para o velório de sua mãe, que há muito não via. É recebido de forma hostil pela família e resolve ficar um pouco mais quando seu pai, veterano juiz, é apontado pela polícia como responsável pela morte de um homem que condenou há vinte anos. Mesmo não se entendendo com o pai, Hank debruça-se sobre o caso, mas os dois não conseguem conviver amigavelmente e a possibilidade de condenação aumenta a cada revelação.

Um drama familiar que vai muito além do tribunal. Ótimas atuações do pai durão, cheio de moral e orgulho, interpretado por Roberto Duval e do filho, prepotente, com humor sarcástico e com uma carreira de sucesso duvidoso, por Robert Downey Jr. Já vimos muitas dessas histórias de tribunais, volta pra casa e problemas entre pais e filhos, mas a dupla conduz muito bem, equilibrando o drama com pitadas de humor, com veracidade e sensibilidade. Adorei!

Um Momento Pode Mudar Tudo

um-momento-pode-mudar-tudo_t69754_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: You’re Not You

Gênero: Drama

Direção: George C. Wolfe

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Bec (Emmy Rossum) é uma universitária meio perdida, que está se relacionando com um professor casado e perdendo o interesse no seu futuro acadêmico. Ela começa um novo trabalho, cuidando de Kate (Hilary Swank), uma mulher que sofre de uma doença terminal. Aos poucos, a jovem vai aprendendo a aproveitar o mundo, mas acaba se afastando cada vez mais da sua antiga vida. Baseado no livro de mesmo nome, escrito por Michelle Wildgen.

Uma história linda, meio clichê, mas muito emocionante! Hilary Swank está ótima, transmitindo muita veracidade à personagem Kate, diagnosticada com ELA (esclerose lateral amiotrófica), uma doença degenerativa que faz perder o controle dos músculos. A sutileza mostrada em cada etapa da doença, somando com a crescente amizade entre a cuidadora Bec e Kate, dão um ótimo tom de companheirismo e superação ao filme.

Filhos do Paraíso

filhos-do-paraiso_t2665_gKEk1zn_jpg_210x312_crop_upscale_q90

Título Original: Bacheha-Ye Aseman

Gênero: Drama

Direção: Majid Majidi

Ano: 1999

País de Origem: Irã

Sinopse: Ali (Amir Farrokh Hashemian) é um menino de 9 anos proveniente de uma família humilde e que vive com seus pais e sua irmã, Zahra (Bahare Seddiqi). Um dia ele perde o único par de sapatos da irmã e, tentando evitar a bronca dos pais, passa a dividir seu próprio par de sapatos com ela, com ambos revezando-o. Enquanto isso, Ali treina para obter uma boa colocação em uma corrida que será realizada, pois precisa da quantia dada como prêmio para comprar um novo par de sapatos para a irmã.

Um filme iraniano belíssimo, com lições sobre respeito, solidariedade, disciplina e honestidade, que deveria ser assistido por todos. Uma história simples, mas com uma carga enorme de delicadeza e humanidade. Merecidamente indicado ao Oscar 1999 de Melhor Filme Estrangeiro, “Filhos do Paraíso” é um enorme aprendizado, mostrando que mesmo numa vida humilde, a dignidade e o caráter são essenciais.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de março

O Apocalipse

o-apocalipse_t67472_3_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Left Behind

Gênero: Ficção / Ação

Direção: Vic Armstrong

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Após um longo tempo, Chloe (Cassi Thomson) decidiu visitar os pais. Ela andava irritava com a mãe, Irene (Lea Thompson), que há cerca de um ano insistia na pregação religiosa a todos à sua volta. Ainda no aeroporto ela encontra por acaso com seu pai, Rayford (Nicolas Cage), um piloto de avião que iria trabalhar bem no dia do aniversário. Não demora muito para que Chloe perceba que ele arquitetou a viagem para ter um encontro com uma das aeromoças, o que a deixa bastante decepcionada. Também no aeroporto ela conhece Buck (Chad Michael Murray), que se interessa por ela mas embarca no voo que será pilotado por Rayford. Durante a viagem, algo repentino acontece em todo o planeta: milhões de pessoas simplesmente desaparecem, sem deixar vestígios. A situação causa um pânico geral.

Nicolas Cage é um ator que gosto, já vi muita coisa boa com ele, mas ele anda participando de umas produções duvidosas, como “O Apocalipse”. Fui conferir, por causa dele e me decepcionei, claro. E nem é ele o problema, mas a história que é completamente sem noção, a produção amadora, teorias religiosas empurradas goela abaixo, tudo muito ruim. Passem longe!

Invencível

invencivel_t71075_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Unbroken

Gênero: Guerra / Biografia / Drama

Direção: Angelina Jolie Pitt

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: O drama retrata a história real do atleta olímpico Louis Zamperini (Jack O’Connell), que sofre um acidente de avião e cai em pleno mar. Ele luta durante 47 dias para reencontrar a terra firme e quando consegue é capturado pelos japoneses em plena Segunda Guerra Mundial.

Um bom filme sobre superação, força e fé, com uma garra incrível pela sobrevivência. Muito realista e forte. Com uma linda fotografia e competente direção de Jolie, o filme conta com muito realismo a história de Zamperini, mas talvez faltou um pouco de emoção.  Adorei os flashbacks (eu sempre gosto…rs) que contam sobre a infância, família e a carreira desse atleta.

Noivo Neurótico, Noiva Nervosa

88ea153192e943cbe0965067b13ac609_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Annie Hall

Gênero: Comédia / Romance / Drama

Direção: Woody Allen

Ano: 1977

País de Origem: EUA

Sinopse: Alvy Singer (Woody Allen), um humorista judeu e divorciado que faz análise há quinze anos, acaba se apaixonando por Annie Hall (Diane Keaton), uma cantora em início de carreira com uma cabeça um pouco complicada. Em um curto espaço de tempo eles estão morando juntos, mas depois de um certo período crises conjugais começam a se fazer sentir entre os dois

Um clássico, considerado um dos melhores filmes de Woody Allen e grande vencedor do Oscar daquele ano – melhor filme, diretor, roteiro original e atriz coadjuvante (Diane Keaton). Um drama que não perde o tom engraçado e com diálogos inteligentes e sarcásticos, que são a marca registrada do diretor. Um filme que inspira e permanece sempre atual.

A Boa Mentira

the-good-lie_t77288_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: The Good Lie

Gênero: Drama

Direção: Philippe Falardeau

Ano: 2015

País de Origem: EUA / Quênia / Índia

Sinopse: Três homens sudaneses, Mamere (Arnold Oceng), Jeremiah (Ger Duany) e Paul (musician Emmanuel Jal), têm a oportunidade de sair do país e conseguir uma vida melhor nos Estados Unidos. Eles são acolhidos por uma assistente social, Carrie Davis (Reese Witherspoon), que pouco conhece sobre o duro passado de cada um. Ela é uma mulher solteira, bem resolvida e muito prática, o que parece estranhíssimo para eles. Aos poucos, tornam-se amigos e descobrem uma nova visão de mundo.

Um filme comovente, baseado numa história real, que passa uma lição de vida incrível. O início, super forte, nos choca mostrando crianças tentando sobreviver a uma guerra. Depois, nos inspira e nos motiva a sermos melhores com tamanha ingenuidade dessas pessoas que “caíram de paraquedas” nos EUA em busca de uma vida melhor. Muito emocionante e surpreendente.

Corações Famintos

coracoes-famintos_t89786_Bqv4fz3_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Hungry Hearts

Gênero: Drama / Suspense

Direção: Saverio Costanzo

Ano: 2014

País de Origem: Itália / EUA

Sinopse: Jude (Adam Driver) é americano. Mina (Alba Rohrwacher) é italiana. Os dois se conhecem, por um acaso, na porta do banheiro de um restaurante e se apaixonam. Rapidamente, eles se casam e vão ter um bebê. Desde o ínicio da gestação, Mina tem certeza que seu filho será uma criança especial. Quando ele nasce, uma luta interna será travada pelo casal por conta das excentricidades de Mina, que pode estar afetando a saúde daquela criança. Uma batalha que afetará, para sempre, essa história de amor.

De cara o título desse filme me fisgou. Não sabia quem eram os atores, nem a sinopse, só o nome me deu vontade de assistir. Me enganei completamente… Assisti em 3 etapas, porque a história é muito chata, mas eu precisava saber o desfecho! E, sinceramente, não gosto do Adam Driver, mas ele foi o melhor de toda a história, pra se ter uma ideia. Não gostei.

Pequena Miss Sunshine

f6dde184d34b5bbde9f3f96e06ebda6b_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Little Miss Sunshine

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Jonathan Dayton e Valerie Faris

Ano: 2006

País de Origem: EUA

Sinopse: Nenhuma família é verdadeiramente normal, mas a família Hoover extrapola. O pai desenvolveu um método de auto-ajuda que é um fracasso, o filho mais velho fez voto de silêncio, o cunhado é um professor suicida e o avô foi expulso de uma casa de repouso por usar heroína. Nada funciona para o clã, até que a filha caçula, a desajeitada Olive (Abigail Breslin), é convidada para participar de um concurso de beleza para meninas pré-adolescentes. Durante três dias eles deixam todas as suas diferenças de lado e se unem para atravessar o país numa kombi amarela enferrujada.

Revi esse ótimo e engraçado road movie sobre perdas, ganhos e aceitação. Temas pesados como drogas, adolescência problemática, suicídio e fracasso profissional são tratados com bom humor, deixando o filme leve, mas não menos reflexivo. Personagens verossímeis, com problemas cotidianos e ótimos interpretações do elenco fazem de Pequena Miss Sunshine um filme obrigatório. =D

Pegando Fogo

burnt_t73832_jpeg_290x478_upscale_q90Título Original: Burnt

Gênero: Drama / Comédia

Direção: John Wells

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: O chefe de cozinha Adam Jones (Bradley Cooper) já foi um dos mais respeitados em Paris, mas o envolvimento com álcool e drogas fez com que sua carreira fosse ladeira abaixo. Após um período de isolamento em Nova Orleans, ele parte para Londres disposto a recomeçar a carreira e conquistar a sonhada terceira estrela no badalado guia Michelin de restaurantes. Para tanto ele conta com a ajuda de Tony (Daniel Brühl), que gerencia um restaurante na capital britânica, e recruta uma equipe de velhos conhecidos.

Cozinhar é uma verdadeira arte para esses chefs que tem paixão pelo que fazem. E tudo vai muito além quando há concorrência e premiações. O filme explora muito bem esse tema, com um ótimo elenco e uma das melhores atuações de Bradley Cooper. Ele é voraz, sarcástico, egoísta e admirável ao mesmo tempo. No geral, é um filme razoável, que se destaca pelas atuações e lições de superação, amizade e a importância do trabalho em equipe.

O Palhaço

213addefaf60b32a04730961215a8518_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: O Palhaço

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Selton Mello

Ano: 2011

País de Origem: Brasil

Sinopse: Benjamim (Selton Mello) trabalha no Circo Esperança junto com seu pai Valdemar (Paulo José). Juntos, eles formam a dupla de palhaços Pangaré & Puro Sangue e fazem a alegria da plateia. Mas a vida anda sem graça para Benjamin, que passa por uma crise existencial e assim, volta e meia, pensa em abandonar Lola (Giselle Mota), a mulher que cospe fogo, os irmãos Lorotta (Álamo Facó e Hossen Minussi), Dona Zaira (Teuda Bara) e o resto dos amigos da trupe. Seu pai e amigos lamentam o que está acontecendo com o companheiro, mas entendem que ele precisa encontrar seu caminho por conta própria.

Uma história singela, cheia de simbolismos e questionamentos sobre a vida, a razão da existência e o caminho certo a seguir. Um bom filme, bem produzido e atuado por Selton Mello, mas não me cativou. Talvez porque eu não goste de circo.

Cinderela

cinderela_t70211_2_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Cinderella

Gênero: Fantasia / Romance

Direção: Kenneth Branagh

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Após a trágica e inesperada morte do seu pai, Ella (Lily James) fica à mercê da sua terrível madrasta, Lady Tremaine (Cate Blanchett), e suas filhas Anastasia e Drisella. A jovem ganha o apelido de Cinderela e é obrigada a trabalhar como empregada na sua própria casa, mas continua otimista com a vida. Passeando na floresta, ela se encanta por um corajoso estranho (Richard Madden), sem desconfiar que ele é o príncipe do castelo. Cinderela recebe um convite para o grande baile e acredita que pode voltar a encontrar sua alma gêmea, mas seus planos vão por água abaixo quando a madrasta má rasga seu vestido. Agora, será preciso uma fada madrinha (Helena Bonham Carter) para mudar o seu destino.

Uma ótima surpresa, sem mudanças no conto de fadas original, mas com uma beleza, cores e fotografia irresistíveis. Grande elenco, com atuações impecáveis também se destacam, em especial Cate Blanchet, Helena Bonham Cartes e Lily James. Um romance lúdico, como nos filmes antigos, pra recordar e se deliciar!

O Curioso Caso de Benjamin Button

o_curioso_caso_de_benjamin_button_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: The Curious Case Of Benjamin Button

Gênero: Drama / Fantasia / Romance

Direção: David Fincher

Ano: 2009

País de Origem: EUA

Sinopse: Nova Orleans, 1918. Benjamin Button (Brad Pitt) nasceu de forma incomum, com a aparência e doenças de uma pessoa em torno dos oitenta anos mesmo sendo um bebê. Ao invés de envelhecer com o passar do tempo, Button rejuvenesce. Quando ainda criança ele conhece Daisy (Cate Blanchett), da mesma idade que ele, por quem se apaixona. É preciso esperar que Daisy cresça, tornando-se uma mulher, e que Benjamin rejuvenesça para que, quando tiverem idades parecidas, possam enfim se envolver.

Ótima revisão! A história é tão inacreditavelmente bem contada, que parece real. Os efeitos, a trajetória do protagonista, a inversão de corpo x mente, são muito bem colocados numa grande passagem temporal, que nos situa dentro dos fatos e nos faz refletir sobre a vida e a morte e o quanto o tempo é imperdoável com todos. Um filme para se admirar, com excelente fotografia e efeitos visuais.

Grandes Olhos

big-eyes_t53864_7_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Big Eyes

Gênero: Biografia / Comédia / Drama

Direção: Tum Burton

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: O drama apresenta a história real da pintora Margaret Keane (Amy Adams), uma das artistas mais comercialmente rentáveis dos anos 1950 graças aos seus retratos de crianças com olhos grandes e assustadores. Defensora das causas feministas, ela teve que lutar contra o próprio marido no tribunal, já que o também pintor Walter Keane (Christoph Waltz) afirmava ser o verdadeiro autor de suas obras.

Tim Burton mostra um outro lado em “Grandes Olhos”, um drama mais convencional com pequenas pitadas de surrealismo, que é sua marca registrada. Aqui temos espaço para refletir sobre machismo, submissão feminina e o “american way of life”. Um filme que foge à estética exagerada do diretor e acaba sendo superficial. O grande destaque vai para a brilhante atuação de Amy Adams.

carolwerner3

Sem Spoilers: filmes de fevereiro

Os Oito Odiados

os-oito-odiados_t68215_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Hateful Eight

Gênero: Faroeste / Drama / Suspense

Direção: Quentin Tarantino

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Durante uma nevasca, o carrasco John Ruth (Kurt Russell) está transportando uma prisioneira, a famosa Daisy Domergue (Jennifer Jason Leigh), que ele espera trocar por grande quantia de dinheiro. No caminho, os viajantes aceitam transportar o caçador de recompensas Marquis Warren (Samuel L. Jackson), que está de olho em outro tesouro, e o xerife Chris Mannix (Walton Goggins), prestes a ser empossado em sua cidade. Como as condições climáticas pioram, eles buscam abrigo no Armazém da Minnie, onde quatro outros desconhecidos estão abrigados. Aos poucos, os oito viajantes no local começam a descobrir os segredos sangrentos uns dos outros, levando a um inevitável confronto entre eles.

Muito além de sangue e violência, Tarantino é diversão! Uma longa introdução te coloca dentro da história, sabendo cada detalhe dos personagens. Mas muitos segredos ainda serão revelados e os flashbacks são perfeitos pra isso. Uma crítica sobre raças, classes sociais e histórias que se cruzam, reunidas num mesmo local, o armazém da Minnie que é um vulcão prestes a entrar em erupção. E nesse clima tenso e de desconfiança, o filme se desenrola com diálogos extremamente precisos, engraçados e com um elenco de primeira. Adorei!

Creed: Nascido para Lutar

creed-nascido-para-lutar_t83213_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Creed

Gênero: Drama

Direção: Ryan Coogler

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Adonis Johnson (Michael B. Jordan) nunca conheceu o pai, Apollo Creed, que faleceu antes de seu nascimento. Ainda assim, a luta está em seu sangue e ele decide entrar no mundo das competições profissionais de boxe. Após muito insistir, Adonis consegue convencer Rocky Balboa (Sylvester Stallone) a ser seu treinador e, enquanto um luta pela glória, o outro luta pela vida.

Não estava botando muita fé nesse filme e muito menos na indicação de Stallone ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, mas apesar de clichê, tem seu mérito. Mesmo não sendo fã de Rocky, o cara é lenda e o ator continua emocionando a ponto de não conseguirmos separá-lo do personagem. O roteiro e direção conseguiram resgatar elementos da saga, com a trilha, frases, métodos de treino, ao mesmo tempo que inovaram, sem parecer mais do mesmo. Um filme tenso que prende e emociona àqueles com instinto competitivo. Gostei e torci pelo Rocky, digo, Stallone! \o/

Amy

amy_t88095_jpeg_290x478_upscale_q90

Título Original: Amy

Gênero: Documentário

Direção: Asif Kapadia

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Ainda adolescente, Amy Winehouse já demonstrava para a família o talento vocal que possuía. Aos 18 anos ela já fazia shows na Inglaterra e, com o tempo, passou a ganhar fama. O sucesso do álbum “Back to Black” a tornou uma celebridade mundial, mas também fez com que seus problemas com álcool e drogas aumentassem exponencialmente.

Recheado de fotos, depoimentos e vídeos pessoais, o documentário mostra Amy por trás dos bastidores. A menina doce e frágil que precisava de ajuda, mas ninguém conseguia ver. A fama só agravou o problema e os aproveitadores estavam sempre por perto. Tem momentos lindos e emocionantes, como o dueto com Tonny Bennet, a premiação do Grammy em 2008 e as tantas canções imortalizadas com sua belíssima e única voz. Mas a maior parte mostra a sua decadência com vídeos que não deveriam vir a público. Triste e chocante.

Divertida Mente

divertida-mente_t62633_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Inside Out

Gênero: Animação

Direção: Pete Docter

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle – e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.

Uma história muito criativa e diferente, completamente empática e, de um certo modo, verdadeira ao demonstrar como as emoções nos conduzem. É bonito, é bem feito, ganhou o Oscar de Melhor Animação, mas não me tocou tanto assim. Wall-E, Procurando Nemo, UP – Altas Aventuras e Monstros S.A., também da Pixar, são muito melhores.

Anomalisa

anomalisa_t61174_ySRvxYn_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Anomalisa

Gênero: Animação

Direção: Charlie Kaufman e Duke Johnson

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Michael Stone (voz de David Thewis) é um palestrante motivacional que acaba de chegar à cidade de Connecticut. Ele segue do aeroporto direto para o hotel, onde entra em contato com um antigo caso para que possam se reencontrar. A iniciativa não dá certo, mas Michael logo se insinua para duas jovens que foram ao local justamente para ver a palestra que ele dará no dia seguinte. É quando ele conhece Lisa (voz de Jennifer Jason Leigh), por quem se apaixona.

Uma animação em stop motion muito interessante e, ao mesmo tempo, estranha, mas que faz todo o sentido. Tudo é cheio de simbologias e reflexões sobre fatos cotidianos e atuais. Um mergulho na realidade, através de bonecos. Incomum e super válido.

Ex-Machina: Instinto Artificial

ex-machina-instinto-artificial_t85637_png_290x478_upscale_q90

Título Original: Ex Machina

Gênero: Ficção

Direção: Alex Garland

Ano: 2015

País de Origem: Reino Unido

Sinopse: Caleb (Domhnall Gleeson), um jovem programador de computadores, ganha um concurso na empresa onde trabalha para passar uma semana na casa de Nathan Bateman (Oscar Isaac), o brilhante e recluso presidente da companhia. Após sua chegada, Caleb percebe que foi o escolhido para participar de um teste com a última criação de Nathan: Ava (Alicia Vikander), uma robô com inteligência artificial. Mas essa criatura se apresenta sofisticada e sedutora de uma forma que ninguém poderia prever, complicando a situação ao ponto que Caleb não sabe mais em quem confiar.

Uma ficção sentimental, que nos envolve na humanidade de um robô. O trio de atores conduzem o suspense e nos prendem do início ao fim. Mas o grande destaque vai para a sueca Alicia Vikander, ganhadora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por “A Garota Dinamarquesa”. Ela é a robô enigmática que confunde pelo seu alto nível instintivo e de inteligência. Uma bela forma de mostrar os avanços tecnológicos e como as relações humanas estão se transformando, levantando questões que nos fazem refletir por bastante tempo. E o final é de cair o queixo! Muito bom!

O Menino e o Mundo

o-menino-e-o-mundo_t87001_IHHRXEQ_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: O Menino e o Mundo

Gênero: Animação

Direção: Alê Abreu

Ano: 2014

País de Origem: Brasil

Sinopse: Um garoto mora com o pai e a mãe, em uma pequena casa no campo. Diante da falta de trabalho, no entanto, o pai abandona o lar e parte para a cidade grande. Triste e desnorteado, o menino faz as malas, pega o trem e vai descobrir o novo mundo em que seu pai mora. Para a sua surpresa, a criança encontra uma sociedade marcada pela pobreza, exploração de trabalhadores e falta de perspectivas.

Completamente diferente, com traços infantis de lápis de cor, surpreende pela simplicidade e beleza em meio a tanta tecnologia das animações recentes. Um filme brasileiro, onde as falas indecifráveis feitas de traz para a frente, o torna universal e instiga o imaginário. A partir dos olhos ingênuos da criança percebemos de forma clara a crítica ao capitalismo e às desigualdades sociais, transmitindo uma mensagem bem interessante. Gostei e torci por ele no Oscar.

O Regresso

o-regresso_t53588_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Revenant

Gênero: Drama / Aventura

Direção: Alejandro Iñárritu

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: 1822. Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma árdua jornada em busca de vingança.

Arrebatador! A história, a produção, as atuações – principalmente de Leonardo DiCaprio, que teve merecimento total do Oscar de Melhor Ator – são viscerais. O filme traz uma experiência sensorial incrível, nos sentimos naquela floresta, gelando naquela neve, com as dores físicas e psicológicas do protagonista, além de elementos que ultrapassam os limites da câmera como respingos de sangue e chuva na tela e a respiração de Glass embaçando a lente. Com uma fotografia estonteante, que também levou a estatueta, a trajetória de Hugh Glass é muito mais do que a luta de um homem pela sobrevivência, é a busca da vingança para aliviar a alma diante de tamanhas atrocidades. E o final é de tirar o fôlego. Adorei!

Sicario: Terra de Ninguém

sicario-terra-de-ninguem_t99816_N6EVMJR_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Sicario

Gênero: Suspense / Policial

Direção: Denis Villeneuve

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: A CIA está preparando uma audaciosa operação para deter o grande líder de um cartel de drogas mexicano. Kate Macy (Emily Blunt), policial do FBI, decide participar da ação, mas logo descobre que terá de testar todos os seus limites morais e éticos nesta missão.

Não é um tema que me atrai, mas “Sicario” tem ótimas atuações, uma fotografia bem feita, suspense e ação bem dosados. Pra quem gosta da luta contra (ou junto com) o narcotráfico e a aridez mexicana, vale a pena.

Sem Spoilers: filmes de janeiro

O Quarto de Jack

room_t98036_jpeg_290x478_upscale_q90

Título Original: Room

Gênero: Drama / Suspense

Direção: Lenny Abrahamson

Ano: 2016

País de Origem: Canadá / Irlanda

Sinopse: Uma história moderna sobre o amor sem limites entre mãe e filho. O pequeno Jack (Jacob Tremblay), de cinco anos, não conhece nada do mundo, exceto o quarto em que nasceu e cresceu acompanhado apenas por Ma (Brie Larson).

Um dos filmes mais emocionantes da temporada de premiações, concorre ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Atriz (Brie Larson já ganhou o Globo de Ouro e SAG Awards). A história de um amor puro e incondicional de mãe, numa circunstância angustiante. Um filho, espetacularmente interpretado por Jacob Tremblay, que vive de sonhos e de um mundo imaginário. Extremamente comovente, incômodo e com atuações belíssimas. Adorei! E no Oscar, minha torcida para melhor atriz vai pra ela! \o/

Spotlight – Segredos Revelados

spotlight_t107623_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Spotlight

Gênero: Drama / Suspense

Direção: Tom McCarthy

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso de crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres de região, ao invés de puni-los pelo caso.

Uma história linear, sem grandes reviravoltas, mas que consegue prender a atenção do início ao fim. A direção é convencional, retratando bem a época (2001), mas o elenco todo (Michael Keaton, Mark Ruffalo Rachel McAdams, Liev Schreiber, John Slattery e Brian d’Arcy James) interage de uma forma natural nos levando nessa clássica investigação jornalística e nos deixando enojados com as descobertas. Destaque para Mark Ruffalo, que concorre ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante.

Carol

carol_t57526_snsr1gg_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Carol

Gênero: Drama / Romance

Direção: Todd Haynes

Ano: 2015

País de Origem: Reino Unido / EUA

Sinopse: A jovem Therese Belivet (Rooney Mara) tem um emprego entediante na seção de brinquedos de uma loja de departamentos. Um dia, ela conhece a elegante Carol Aird (Cate Blanchett), uma cliente que busca um presente de Natal para a sua filha. Carol, que está se divorciando de Harge (Kyle Chandler), também não está contente com a sua vida. As duas se aproximam cada vez mais e, quando Harge a impede de passar o Natal com a filha, Carol convida Therese a fazer uma viagem pelos Estados Unidos.

Um filme bonito, tênue, sem extravagâncias, que retrata muito bem o preconceito nos anos 50. Cate Blanchett sempre ótima, passa toda sutileza à sedutora e elegante Carol. Rooney Mara acompanha, mas sem grande destaque. Uma delicada história de amor um pouco arrastada, cheia de obstáculos, dramas pessoais e com ótima fotografia e figurino.

Ponte dos Espiões

ponte-de-espioes_t99817_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Bridge of Spies

Gênero: Suspense

Direção: Steven Spielberg

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Em plena Guerra Fria, o advogado especializado em seguros James Donovan (Tom Hanks) aceita uma tarefa muito diferente do seu trabalho habitual: defender Rudolf Abel (Mark Rylance), um espião soviético capturado pelos americanos. Mesmo sem ter experiência nesta área legal, Donovan torna-se uma peça central das negociações entre os Estados Unidos e a União Soviética ao ser enviado a Berlim para negociar a troca de Abel por um prisioneiro americano, capturado pelos inimigos.

“Ponte dos Espiões” conta a história real de um advogado de seguros super competente, escolhido para fazer a defesa de um espião soviético, somente para mostrar que os EUA é justo, mas a intenção prévia era condená-lo. Só que este advogado, brilhantemente interpretado por Tom Hanks, vai lutar por uma defesa justa e essa relação humana entre réu e defensor é o que conduz a história de suspense, drama, com boas pitadas de humor e, principalmente, sensibilidade. Uma bela mistura da grandiosidade na direção de Spielberg, com a sagacidade nos diálogos do roteiro dos irmãos Coen. Um dos melhores filmes concorrentes ao Oscar. Adorei!

Brooklyn

brooklyn_t56243_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Brooklyn

Gênero: Drama / Romance

Direção: John Crowley

Ano: 2016

País de Origem: Irlanda / Reino Unido / Canadá

Sinopse: A jovem irlandesa Ellis Lacey (Saoirse Ronan) se muda de sua terra natal e vai morar no Brooklyn, em Nova Iorque, para tentar realizar seus sonhos. No ínicio de sua jornada nos Estados Unidos, ela sente falta de sua casa, mas ela vai tentando se ajustar aos poucos até que conhece e se apaixona por Tony (Emory Cohen), um bombeiro italiano. Logo, ela se encontra dividida entre dois países, entre o amor e o dever.

Um filme doce e sensível como a sua protagonista, lindamente interpretada por Saoirse Ronan que merecidamente foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz. Muito além de um romance, uma história sobre escolhas que parecem ter a mesma medida e você não sabe pra onde ir, sobre a tentativa de descobrir onde é o seu lar. Uma trama simples, cheia de saudade e melancolia. Muito bom!

A Garota Dinamarquesa

the-danish-girl_t10068_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: The Danish Girl

Gênero: Drama / Biografia

Direção: Tom Hooper

Ano: 2016

País de Origem: EUA / Reino Unido / Alemanha

Sinopse: Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de mudança de gênero. Em foco o relacionamento amoroso do pintor dinamarquês com Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher.

Um filme bom, com tema delicado e bem interpretado por Eddie Redmayne (que foi perfeito no papel Stephen Hawking em “A Teoria de Tudo” e agora parece um tanto esquisito em outros papéis). Mas quem rouba a cena é Alicia Vikander, com sua personagem feminina forte, destemida e que dá poder à transformação de Einar, ao mesmo tempo que tem que lidar com sua carreira de artista, a casa e a perda do parceiro. Merecidíssima a sua indicação ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante e é pra ela a minha torcida. Pra mim, a garota dinamarquesa é Gerda!

Trumbo: Lista Negra

trumbo_t88219_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Trumbo

Gênero: Drama / Biografia

Direção: Jay Roach

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: O roteirista Dalton Trumbo (Bryan Cranston) tem uma história singular em Hollywood: apesar de ter escrito algumas das histórias de maior sucesso da época, como A Princesa e o Plebeu (1953), ele se recusou a cooperar com o Comitê de Atividades Antiamericanas do congresso e acabou preso e proibido de trabalhar. Mesmo quando saiu da prisão, Trumbo demorou anos para vencer o boicote do governo, sofrendo com uma série de problemas envolvendo familiares e amigos próximos.

Uma história real interessante e informativa pra quem gosta de cinema, bastidores, roteiristas, com um protagonista muito bem interpretado por Bryan Cranston, o que lhe rendeu a indicação de Melhor Ator no Oscar deste ano. Mas o filme em si é convencional. Vale só pela história desse grande roteirista que ganhou prêmios (reconhecidos tardiamente, pois tinha que usar pseudônimos) por “A Princesa e o Plebeu” (1953), “Arenas Sangrentas” (1956) e “Spartacus” (1960).

Steve Jobs

steve-jobs_t111136_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Steve Jobs

Gênero: Drama / Biografia

Direção: Danny Boyle

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Três momentos importantes da vida do inventor, empresário e magnata Steve Jobs: os bastidores do lançamento do computador Macintosh, em 1984; da empresa NeXT, doze anos depois e do iPod, no ano de 2001.

A história de Steve Jobs, apesar de interessante, é sempre cansativa. Jobs é cansativo. Mas o foco desse filme nos bastidores e na relação com a filha deixaram o filme mais atraente e com um final lindo. Além disso, temos ótimas interpretações de Michael Fassbender e Kate Winslet e uma sintonia perfeita entre os dois, indicados ao Oscar de Melhor Ator e Melhor Atriz Coadjuvante.

A Grande Aposta

a-grande-aposta_t97234_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: The Big Short

Gênero: Drama / Comédia / Biografia

Direção: Adam McKay

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Michael Burry (Christian Bale) é o dono de uma empresa de médio porte, que decide investir muito dinheiro do fundo que coordena ao apostar que o sistema imobiliário nos Estados Unidos irá quebrar em breve. Tal decisão gera complicações junto aos investidores, já que nunca antes alguém havia apostado contra o sistema e levado vantagem. Ao saber destes investimentos, o corretor Jared Vennett (Ryan Gosling) percebe a oportunidade e passa a oferecê-la a seus clientes. Um deles é Mark Baum (Steve Carell), o dono de uma corretora que enfrenta problemas pessoais desde que seu irmão se suicidou. Paralelamente, dois iniciantes na Bolsa de Valores percebem que podem ganhar muito dinheiro ao apostar na crise imobiliária e, para tanto, pedem ajuda a um guru de Wall Street, Ben Rickert (Brad Pitt), que vive recluso.

Não sei o que falar, apenas sentir… confusão! (aqui caberia bem o meme do Travolta confuso…rs). Um filme bastante crítico e debochado, com ótimos atores e interpretações, mas tudo é muito confuso e cansativo.

45 Anos

45-years_t96818_png_290x478_upscale_q90Título Original: 45 Years

Gênero: Drama

Direção: Andrew Haigh

Ano: 2015

País de Origem: Reino Unido

Sinopse: Kate Mercer (Charlotte Rampling) está planejando a festa de comemoração dos 45 anos de casada. Porém, cinco dias antes do evento, o marido recebe uma carta: o corpo de seu primeiro amor foi encontrado congelado no meio dos Alpes Suíços. A estrutura emocional dele é seriamente abalada e Kate já não sabe se vai ter o que comemorar durante a festa.

Um filme com uma narrativa lenta e rotineira, por vezes cansativa, mas compensada pela boa história, belas paisagens e ótima interpretação da indicada ao Oscar de Melhor Atriz Charlotte Rampling (sim, a Dra. Evelyn Vogel de Dexter!). Mas um segredo do passado do marido Geoff pode mudar tudo, fazê-la rever toda a sua vida junto à ele e repensar o que realmente foi verdadeiro. Será que o amor supera tudo? Bonito e diferente.

Joy: O Nome do Sucesso

joy_t93668_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Joy

Gênero: Drama / Biografia / Comédia

Direção: David O. Russell

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Criativa desde a infância, Joy Mangano (Jennifer Lawrence) entrou na vida adulta conciliando a jornada de mãe solteira com a de inventora e tanto fez que se tornou uma das empreendedoras de maior sucesso dos Estados Unidos.

Um filme sobre uma mulher valente, que toma conta da própria vida e ainda tem que lidar com os problemas da casa, da mãe reclusa, do pai ausente, dos filhos que cria sozinha e do trabalho. Essa é Joy e Jennifer Lawrence dá conta de tudo isso! O seu lado criativo e empreendedor é empolgante e de fácil empatia, lutando dia-a-dia e não desistindo do seu sonho nos primeiros obstáculos. Tem drama, emoção e diversão. Gostei!

Cinco Graças

mustang_t124274_jpg_290x478_upscale_q90Título Original: Mustang

Gênero: Drama

Direção: Deniz Gamze Ergüven

Ano: 2016

País de Origem: Turquia / França / Alemanha

Sinopse: No início do verão em um vilarejo turco, Lale e suas 4 irmãs brincam de forma debochada com os meninos, o que acarreta em um escândalo de consequências muito fortes: a casa delas se torna praticamente uma prisão, elas aprendem a limpar ao invés de ir para a escola e seus casamentos começam a ser arranjados. As cinco não deixam de desejar a liberdade, e tentam resistir aos limites que lhes são impostos.

Uma história que mexe muito, principalmente com o universo feminino. Sabemos, mas custamos a acreditar que essas crenças turcas sobre o casamento e a vida a dois continuam a existir. Um filme forte, interpretado naturalmente pelas cinco meninas, que passa muita veracidade e vontade de mudar, de lutar pela liberdade de escolha junto com elas. Um grande concorrente ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. Adorei!

carolwerner3