Sem Spoilers: filmes de janeiro

Façam suas apostas, pois está aberta a temporada do Oscar 2017!!! \o/

Desde a última edição da premiação, estou me dedicando e conseguindo assistir à maioria dos filmes indicados antes da entrega das estatuetas. Sempre admirei essas premiações, mas sem ter assistido aos filmes ficava sem graça, sem sentido. Agora fico na torcida, concordo ou discordo dos críticos, então… se cuidem Glória Pires e Rubens Ewald Filho!!! 😛

Oscars 2016 GIF - Find & Share on GIPHY

La La Land: Cantando Estações

15966310_1572691639412632_346467659249607089_n

Título Original: La La Land

Gênero: Comédia / Musical / Romance

Direção: Damien Chazelle

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

Um musical com ritmo, e não me refiro às danças, mas às grandes atuações dos protagonistas, que tem uma ótima química e se entregam verdadeiramente aos seus papéis. O filme não se trata apenas de cantoria, tem ótimos diálogos e importantes silêncios que te colocam na pele dos personagens e te fazem sentir as frustrações diante de tantos “nãos” que a vida dá. Sonhadores entenderão! Ponto extra para a belíssima fotografia, ao colorido que invade a tela e às referências a tantos clássicos, como “Cantando na Chuva”, o casal dançante Fred Astaire e Ginger Rogers, “Amor Sublime Amor”e “Moulin Rouge”. Nostálgico e encantador!

É um dos favoritos ao Oscar, concorrendo em 13 categorias.

Sully – O Herói do Rio Hudson

sully_t125300

Título Original: Sully

Gênero: Biografia / Drama

Direção: Clint Eastwood

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: 15 de janeiro de 2009. Logo após decolar do aeroporto de LaGuardia, em Nova York, uma revoada de pássaros atinge as turbinas do avião pilotado por Chesley “Sully” Sullenberger (Tom Hanks). Com o avião seriamente danificado, Sully não vê outra alternativa senão fazer um pouso forçado em pleno rio Hudson. A iniciativa é bem sucedida, com todos os 150 passageiros a bordo sendo salvos. Tal situação logo transforma Sully em um grande herói nacional, o que não o isenta de enfrentar um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos.

Muitos fatores contribuíram para o sucesso prévio desse filme: história real, Tom Hanks, Nova York e Clint Eastwood. Mas, apesar de ótimo, não foi suficiente para grandes indicações, ficando apenas com a de Melhor Edição de Som. Tom Hanks é indiscutivelmente um grande ator, ele sabe interpretar seus personagens com maestria e, neste caso, colocando o fator humano em evidência. E ainda teve o apoio de Aaron Eckhart (co-piloto Jeff) que formaram uma dupla e tanto! O roteiro não tem muito a dizer, mas a direção de Clint é impecável, conduzindo a trama entre vai e vens no tempo, muito bem conectados e com objetividade. Sou suspeita, sou fã… adorei! 🙂

Zootopia – Essa Cidade é o Bicho

zootopia-essa-cidade-e-o-bicho_t84397_archkw2

Título Original: Zootopia

Gênero: Animação

Direção: Byron Howard / Rich Moore

Ano: 2016

País de Origem: EUA

Sinopse: Judy Hopps é a pequena coelha de uma fazenda isolada, filha de agricultores que plantam cenouras há décadas. Mas ela tem sonhos maiores: pretende se mudar para a cidade grande, Zootopia, onde todas as espécies de animais convivem em harmonia, na intenção de se tornar a primeira coelha policial. Judy enfrenta o preconceito e as manipulações dos outros animais, mas conta com a ajuda inesperada da raposa Nick Wilde, conhecida por sua malícia e suas infrações. A inesperada dupla se dedica à busca de um animal desaparecido, descobrindo uma conspiração que afeta toda a cidade.

Fazia tempo que eu não me empolgava tanto com uma animação! Uma história linda e divertida sobre superação, realização de sonhos e de encontrar amizade e lealdade onde menos se espera. E ainda faz uma ótima crítica ao preconceito, racismo, classes sociais, drogas, autoritarismo, machismo e por aí vai. Uma excelente reflexão embalada por uma música que é pura energia e encorajamento: “Try Everything”, da Shakira. Super recomendo! *-*

Já ganhou o Globo de Ouro, Critic Choice e concorre ao Oscar de Melhor Animação.

A Luz Entre Oceanos

a-luz-entre-oceanos_t85434

Título Original: The Light Between Oceans

Gênero: Drama / Romance

Direção: Derek Cianfrance

Ano: 2016

País de Origem: EUA / Reino Unido / Nova Zelândia

Sinopse: Austrália, após a Primeira Guerra Mundial. Tom Sherbourne (Michael Fassbender) é um veterano da guerra contratado para trabalhar em um farol, que orienta os navios exatamente na divisão entre os oceanos Pacífico e Índico. Trata-se de uma vida solitária, já que não há outras casas na ilha. Logo ao chegar Tom é apresentado a Isabel Graysmark (Alicia Vikander), com quem logo se casa. O jovem casal rapidamente tenta engravidar, mas Isabel enfrenta problemas e perde dois bebês – o que, inevitavelmente, provoca traumas. Até que, um dia, surge na ilha em que vivem um barco à deriva, contendo o corpo de um homem e um bebê. Tom deseja avisar as autoridades do ocorrido, mas é convencido por Isabel para que enterrem o falecido e passem a cuidar da criança como se fosse sua filha, já que ninguém sabia que ela tinha tido um aborto. Mesmo reticente, Tom concorda com a proposta.

Uma narrativa clássica de um romance à beira do precipício. Como não enlouquecer vivendo tão isoladamente? Como conviver com a culpa de uma mentira? Ótima atuação de Fassbender e, principalmente, da Alicia Vikander nesse drama delicado, que toca lá no fundo e te deixa ora de um lado ora de outro da situação. Gostei!

Um Limite Entre Nós

fences-1

Título Original: Fences

Gênero: Drama

Direção: Denzel Washington

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Nos anos 50, Troy Maxson (Denzel Washington) tenta criar os filhos e cuidar da família da melhor maneira possível. Mas a tarefa não é fácil. Ele sonhou em ser jogador de baseball e virou coletor de lixo. Para piorar, a relação com o filho mais velho é complicada.

Baseada na peça homônima, de 1987, que teve uma nova versão em 2010 protagonizada pelo próprio Denzel Washington, “Um Limite Entre Nós” é uma aula de atuação. Viola Davis (Rose – a esposa) e Denzel combinam muito e dão um show. Ela como a resignada e paciente matriarca da época, que mantém o equilíbrio da família. Ele com suas múltiplas faces – amargo, depressivo, amigável, apaixonado – e com discursos intermináveis, mas longe de serem cansativos. (Oscar de melhor decoreba goes to… 😛 ). Senti um pouco a falta de trilha sonora, mas não compromete o filme. Muito bom e cheio de reflexões!

Concorre ao Oscar de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado, além de já ter dado a Viola o Globo de Ouro, o SAG Award e o Critic Choice nessa mesma categoria e a Denzel Washongton o SAG Award de Melhor Ator Principal.

Moonlight: Sob a Luz do Luar

moonlight-web_72dpi

Título Original: Moonlight

Gênero: Drama

Direção: Barry Jenkis

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Black (Trevante Rhodes) trilha uma jornada de autoconhecimento enquanto tenta escapar do caminho fácil da criminalidade e do mundo das drogas de Miami. Encontrando amor em locais surpreendentes, ele sonha com um futuro maravilhoso.

Uma história sobre autoconhecimento. Chiron, o protagonista, passa por 3 fases da vida (infância, adolescência e adulta) tentando sobreviver e se achar no mundo, escondido atrás de uma sociedade preconceituosa. Até a metade do filme, na adolescência do personagem, o filme é cativante e muito emocionante. Mas depois o longa parece que desanda, fica monótono, perde o brilho.

Já ganhou o Globo de Ouro de Melhor Filme Dramático, SAG Award de Melhor Ator Coadjuvante (Mahershala Ali) e concorre a 8 categorias do Oscar, incluindo a de Melhor Filme, Diretor, Ator Coadjuvante e Atriz Coadjuvante.

Manchester à Beira-Mar

mv5bmtyxmjk0ndg4ml5bml5banbnxkftztgwodcynja5ote-_v1_sy1000_cr00674_hkeogky

Título Original: Manchester by The Sea

Gênero: Drama

Direção: Kenneth Lonergan

Ano: 2017

País de Origem: EUA

Sinopse: Lee Chandler (Casey Affleck) é forçado a retornar para sua cidade natal com o objetivo de tomar conta de seu sobrinho adolescente após o pai (Kyle Chandler) do rapaz, seu irmão, falecer precocemente. Este retorno ficará ainda mais complicado quando Lee precisar enfrentar as razões que o fizeram ir embora e deixar sua família para trás, anos antes.

Extremamente profundo. Toca em feridas que nem são nossas, mas sentimos como se fossem. Uma tristeza reprimida que choca e abala, sem ser melodramático. O protagonista, muito bem interpretado por Casey Affleck, transmite toda essa angústia dos traumas que vivenciou em poucas palavras e expressões. Não considero Casey um ótimo ator, mas acredito que esse papel se encaixou perfeitamente. Um filme recheado de flashbacks, que contam pequenas histórias diante de cada situação atual e engrandecem ainda mais a história. Muito bom!

Concorre ao Oscar de Melhor Filme, Diretor, Ator, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante e Roteiro Original.

Interrogation

visaranai_movie_release_posters_6db1997

Título Original: Visaaranai

Gênero: Drama / Suspense / Policial

Direção: Vetri Maaran

Ano: 2015

País de Origem: Índia

Sinopse: Um grupo de imigrantes estão passando por uma tremenda injustiça. Eles foram detidos pela polícia, torturados e forçados a admitir um crime que não cometeram. Mas, quando todas as suas esperanças parecem ter se perdido, um policial de sua cidade natal depõe e finalmente consegue libertá-los. Mas o real problema começa quando o policial pede um favor em troca.

Baseado numa história real, o filme impacta pela violência, injustiça e pelos cenários sujos e tristes de um lugar corrupto. É uma crítica social ao sofrimento e descaso aos imigrantes. A ingenuidade dos protagonistas e a relação entre eles em se ajudar é tão doce e cativante, que contrasta e se sobressai a todo o cenário cruel e ficamos o tempo todo torcendo por eles. Adorei! E algumas curiosidades sobre o cinema indiano: tem um intervalo no meio do filme, todas as cenas com alguém fumando aparece um alerta “proibido fumar” e as cenas com sangue ficam em preto e branco.

Representante indiano no Oscar 2017, mas não entrou nos 5 finalistas de Melhor Filme Estrangeiro. 😦

carolwerner3

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s