Sem Spoilers: filmes de setembro

O Pagamento

o pagamento

Título Original: Paycheck

Gênero: Ficção / Suspense / Ação

Direção: John Woo

Ano: 2003

País de Origem: EUA / Canadá

Sinopse: Michael Jennings (Ben Affleck) é um engenheiro de computação brilhante, que constantemente é contratado por grandes empresas para trabalhar em projetos secretos. Sempre que trabalha nestes projetos, após concluir seu serviço, Jennings passa por um processo onde parte de sua memória de curto prazo é apagada, para evitar que informações secretas vazem. Trabalhando em um grande projeto, que pode lhe render bilhões de dólares como pagamento, Jennings se dedica a ele por três anos e, após concluí-lo, tem sua memória apagada, como sempre. Porém, ao invés de receber seu pagamento, Jennings recebe um envelope contendo diversos e estranhos objetos, sendo ainda levado a acreditar que abriu mão dos bilhões de dólares. Estranhando a situação, Jennings decide investigar a empresa com a ajuda de uma companheira de trabalho, Rachel (Uma Thurman), mas é surpreendido com a notícia de que a polícia está atrás dele por algo que não se recorda de ter feito.

“O Pagamento” estava há bastante tempo na minha lista, por causa da participação de Michael C. Hall (o eterno Dexter! *-*). Realmente ele faz só uma boa participação como um agente do FBI, ao lado do parceiro interpretado por Joe Morton (o papa Pope, de Scandal). A trama principal com Ben Affleck (satisfatório) e Uma Thurman (péssima) se arrasta e não prende. A dupla não tem química alguma e o filme não sabe bem para onde vai.

Magic Mike XXL

magic-mike-xxl_t78544_7zsQ1TN_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Magic Mike XXL

Gênero: Comédia

Direção: Gregory Jacobs

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Após um tempo fora de cena, Mike (Channing Tatum), se reúne novamente com antigos colegas, como Richie (Joe Manganiello) e Ken (Matt Bomer), em uma “road trip”. O destino é Myrtle Beach, em Miami, onde o grupo pretende fazer uma última grande turnê de despedida.

O início e o final do filme são válidos, divertidos e empolgantes! Mas a road trip em si se arrasta e parece que as cenas estão isoladas, sem uma ligação coerente. O que se sobressai é a amizade do grupo e uma ótima trilha sonora que embala performances de dança incríveis. Além de duas ótimas cenas com Matt Bomer cantando…*-*  Bom entretenimento!

Donnie Brasco

donnie brasco

Título Original: Donnie Brasco

Gênero: Policial / Suspense

Direção: Mike Newell

Ano: 1997

País de Origem: EUA

Sinopse: Nos anos 70, Joseph D. Pistone (Johnny Depp) é um agente do FBI infiltrado durante seis anos numa família da máfia. Baseado numa história verídica, esta é a transcrição da mais bem sucedida operação de combate à criminalidade do FBI. Pistone faz-se passar por um ladrão de jóias – Donnie Brasco – e torna-se amigo de “Lefty” Ruggiero (Al Pacino), um membro da máfia de Nova Iorque ensinando-lhe os caminhos do crime. Mas ele coloca sua vida pessoal em xeque, pondo em risco sua missão.

Personagens complexos e bem interpretados pelos ótimos Johnny Depp e Al Pacino. Porém, devido ao brilhantismo dos atores, sempre esperamos mais. A máfia serve só de pano de fundo para essa história que foca o lado mais humano dos protagonistas, seus dramas pessoais e a relação de amizade e proteção entre eles.

Juntos e Misturados

juntos-e-misturados_t76684_3_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Blended

Gênero: Comédia

Direção: Frank Coraci

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Jim (Adam Sandler) é um viúvo que tem um encontro às cegas desastroso com Lauren (Drew Barrymore), que se separou há pouco tempo devido à traição do marido. Depois do ocorrido, a última coisa que desejam é se reencontrar. Entretanto, quando Jen (Wendi McLendon-Covey), a sócia de Lauren, desiste de uma viagem à África com o namorado e seus cinco filhos, surge a oportunidade para que Lauren desfrute do passeio ao lado de Brendan (Braxton Beckham) e Tyler (Kyle Red Silverstein), seus filhos. O que ela não esperava era que o namorado de Jen também negociasse o pacote com Jim, um de seus funcionários. Ou seja, Jim e suas três filhas encontram Lauren e seus dois filhos em um resort de luxo na África, tendo que dividir as mesmas dependências durante uma semana.

Está passando na tv? Assista, sem expectativas e divirta-se! Adam Sandler é sempre o mesmo em praticamente todos os filmes, mas diverte. E ainda contamos com o plus da querida Drew Barrymore, que é perfeita para comédias românticas. É clichê, tem umas viagens, mas dá pra dar boas risadas.

O Agente da U.N.C.L.E.

o-agente-da-u-n-c-l-e_t41908_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Man From U.N.C.L.E.

Gênero: Ação / Comédia

Direção: Guy Ritchie

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Na década de 1960 os até então inimigos mortais Napoleon Solo (Henry Cavill), agente da CIA, e Illya Kuriakin (Armie Hammer), espião da KGB, são obrigados a cooperarem. A grande missão da improvável dupla EUA-Rússia é combater a terrível organização T.H.R.U.S.H., que desenvolve armas nucleares.

Baseado na série de mesmo nome, exibida nos anos 60, o filme tem boas cenas de ação, ótimo entrosamento do elenco e diálogos incríveis e cheios de humor. A fotografia, o figurino e a trilha sonora dão um toque todo especial, remetendo à espionagem da época, à elegância e sensualidade ao estilo James Bond. E quem achou que Napoleon Solo tem um quê de Neal Caffrey (personagem da série White Collar, interpretado por Matt Bomer), tem toda razão. Eu não estava com grandes expectativas e o filme foi uma grata surpresa! *-* Agora é esperar pela sequência, como o final indica.😉

Insurgente

a-serie-divergente-insurgente_t86358_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Insurgent

Gênero: Ação / Ficção

Direção: Robert Schwentke

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) agora são fugitivos e procurados por Jeanine Matthews (Kate Winslet), líder da Erudição. Em busca de respostas e assombrados por prévias escolhas, o casal enfrentará inimagináveis desafios enquanto tentam descobrir a verdade sobre o mundo em que vivem.

O segundo filme da saga “Divergente” é morno até a metade, depois engrena, mas mesmo assim ficou abaixo do seu antecessor. Tris, muito bem interpretada por Shailene, é uma personagem forte, destemida, que combina muito bem o seu lado humano com o de guerreira. Porém, dois grandes nomes dessa história – Naomi Watts (que entrou agora) e Kate Winslet – são pouco aproveitadas e não combinam muito com seus papéis. O que fica, são lições de aceitação, resistência e superação, e a espera pra saber o que tem além das cercas….só em 2016! rs

Sob o Mesmo Céu

sob-o-mesmo-ceu_t62566_PG38q9r_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Aloha

Gênero: Romance / Comédia / Drama

Direção: Cameron Crowe

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Após fracassar em uma missão, o militar Brian Gilcrest (Bradley Cooper) é enviado de volta para o Havaí, sua terra natal, para supervisionar o lançamento de um satélite. Lá, ele se reaproxima de um amor do passado (Rachel McAdams), ao mesmo tempo que começa a se apaixonar por uma piloto da Força Aérea (Emma Stone).

Um romance leve, sem muitas pretensões, pra se deixar envolver. A história é muito agradável, com diálogos curtos e bem humorados e, até no silêncio, o ótimo elenco conseguem passar sua mensagem. Além de contar com a excentricidade de Bill Murray, um vilão divertido e com uma ótima cena de dança. A nova comédia dramática de Cameron Crowe, dos ótimos “Jerry Maguire”, “Quase Famosos” “Vanilla Sky” e “Tudo Acontece em Elisabeth Town”, é surpreendentemente engraçada, identificável pelas cenas cotidianas e com uma agradável trilha sonora. Aloha!

O Poderoso Chefão

o poderoso chefão

Título Original: The Godfather

Gênero: Policial / Drama

Direção: Francis Ford Coppola

Ano: 1972

País de Origem: EUA

Sinopse: Em 1945, Don Corleone (Marlon Brando) é o chefe de uma mafiosa família italiana de Nova York. Ele costuma apadrinhar várias pessoas, realizando importantes favores para elas, em troca de favores futuros. Com a chegada das drogas, as famílias começam uma disputa pelo promissor mercado. Quando Corleone se recusa a facilitar a entrada dos narcóticos na cidade, não oferecendo ajuda política e policial, sua família começa a sofrer atentados para que mudem de posição. É nessa complicada época que Michael (Al Pacino), um herói de guerra nunca envolvido nos negócios da família, vê a necessidade de proteger o seu pai e tudo o que ele construiu ao longo dos anos.

Até que enfim esse clássico entrou pra minha lista de assistidos! Confesso que, depois de tanto ouvir falar, minhas expectativas estavam nas alturas e acabaram não sendo atendidas por completo… achei o filme muito arrastado. Mas nada tira o brilhantismo das grandes atuações de Marlon Brando e, um ainda tímido, Al Pacino. Brando, na pele de Don Corleone, é admirável pela moral, respeito e princípios aos quais acredita, mesmo que seus atos sejam condenáveis. O descaramento ao fazer as próprias leis, sob uma visão humanizada, é a essência da máfia nesse e nos filmes e séries posteriores que se inspiraram nessa fórmula. Só espero que a parte II seja melhor.

Interestelar

interestelar_t27814_3_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: Interstellar

Gênero: Ficçãol / Drama

Direção: Christopher Nollan

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Após ver a Terra consumindo boa parte de suas reservas naturais, um grupo de astronautas recebe a missão de verificar possíveis planetas para receberem a população mundial, possibilitando a continuação da espécie. Cooper (Matthew McConaughey) é chamado para liderar o grupo e aceita a missão sabendo que pode nunca mais ver os filhos. Ao lado de Brand (Anne Hathaway), Jenkins (Marlon Sanders) e Doyle (Wes Bentley), ele seguirá em busca de uma nova casa. Com o passar dos anos, sua filha Murph (Mackenzie Foy e Jessica Chastain) investirá numa própria jornada para também tentar salvar a população do planeta.

Um filme de quase 3 horas que prende muito, com uma trama cheia de reviravoltas interessantes e algumas surpresas. Tudo é muito minucioso e, por ser uma história futurista, é tão bem feita que nos faz acreditar que tudo é aquilo é plausível. Os efeitos especiais são um dos pontos fortes, afinal estamos falando de Nollan, também diretor do ótimo “A Origem”. Grande destaque para o protagonista, Matthew McConaughey, que tem uma atuação brilhante, junto com Anne Hathaway, Jessica Chastain e a pequena Mackenzie Foy. Aliás, Mackenzie e Jessica, que fazem a mesma personagem com a passagem de tempo, tem uma semelhança incrível e eu adoro isso! Um grande filme, inteligente, que vai muito além da ciência. Recomendo!

carolwerner3

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s