Sem Spoilers: filmes de julho

Enquanto Somos Jovens

while-we-re-young_t59939_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: While We Were Young

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Noah Baumbach

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Cornelia (Naomi Watts) e Josh Srebnick (Ben Stiller) são casados há anos. Incomodados com o envelhecimento, estão cansados da maneira conservadora como vivem. Jamie (Adam Driver) e Darby (Amanda Seyfried) se aproximam dos dois e Josh, encantado com o estilo de vida e o ânimo da dupla, sonha voltar a ser jovem.

Uma divertida história que contrapõe duas situações bem reais: o casal acomodado e responsável que está envelhecendo e o casal jovem que vive como se não houvesse amanhã. Com um humor inteligente, dá pra dar boas risadas e se identificar em diversos momentos. Bem Stiller e Naomi Watts combinam perfeitamente com os personagens. Só não gostei do Adam Driver (ou seria do personagem Jamie), muuuito chato e prepotente. =P

Tickle Head, O Melhor Lugar da Terra

the-grand-seduction_t73838_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Grand Seduction

Gênero: Comédia

Direção: Don McKellar

Ano: 2013

País de Origem: Canadá

Sinopse: A pequena cidade portuária de Tickle Head enfrenta uma grande crise financeira. A esperança dos moradores é a reabertura de uma fábrica local, que poderia empregar várias pessoas. Mas a licença para o funcionamento da fábrica só será autorizada quando a região tiver um médico presente. O habitante Murray French Brendan Gleeson) consegue fazer com que o médico Paul Lewis (Taylor Kitsch) visite o local, mas agora ele tem a difícil tarefa de convencê-lo a ficar no vilarejo, e passar a morar por lá. Murray e seus amigos inventam as estratégias mais inesperadas para seduzir o médico.

Um filme bom de assistir, sobre um lugar que parece ter parado no tempo, onde a união da minúscula população local ganha força para enfrentar os percalços. Assista sem expectativas e se delicie com o charme do porto de Tickle Head, suas incríveis paisagens e cenas bem divertidas!

O Jogo da Imitação

the-imitation-game_t81308_1_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Imitation Game

Gênero: Drama / Biografia

Direção: Morten Tyldum

Ano: 2015

País de Origem: EUA / Reino Unido

Sinopse: Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing (Benedict Cumberbatch), um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Não demora muito para que Turing, apesar de sua intransigência, lidere a equipe. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas. Entretanto, para que o projeto dê certo, Turing terá que aprender a trabalhar em equipe e tem Joan Clarke (Keira Knightley) como sua grande incentivadora.

Quando as pessoas falam umas com as outras, elas nunca dizem o que querem dizer. Elas dizem outra coisa e é esperado que você saiba o que elas querem dizer.”

Belíssimo! A história em si não tinha me chamado muito a atenção, muito menos o protagonista que, mesmo não tendo visto um papel de destaque do Benedict Cumberbatch, não simpatizava com ele. Cometi um tremendo erro, que me foi jogado na cara em forma de uma incrível história real, sensível, inteligente e com um Benedict en-can-ta-dor e apaixonante como o metódico, literal e desajustado Alan Turing.❤ Ele e Keira (e o belo sotaque britânico do elenco) nos envolvem nesse filme emocionante, sobre as conquistas do homem e da máquina, e as injustiças de uma época que não parece ser muito diferente da nossa. Concorreu em 8 categorias do Oscar, vencendo a de Melhor Roteiro Adaptado e contando com um lindo discurso do roteirista Graham Moore: “Stay weird. Stay different”. Recomendadíssimo! *-*

A Incrível História de Adaline

the-age-of-adaline_t43781_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Age Of Adaline

Gênero: Drama / Romance / Fantasia

Direção: Lee Toland Krieger

Ano: 2015

País de Origem: EUA

Sinopse: Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.

Uma fábula moderna encantadora, com uma fotografia e figurinos que transitam por diversas épocas de forma exemplar. Além disso, a história cativa também pelo brilhantismo de sua protagonista, Blake Lively, que atua de modo contido e delicado, nos dando total compreensão da experiência de vida de décadas de Adaline. O roteiro é muito bem desenvolvido, de forma não-linear, e nos revela ótimas surpresas. Um filme que te conquista do início ao fim. ADOREI!❤

O Universo no Olhar

i-origins_t86126_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: I Origins

Gênero: Drama / Ficção

Direção: Mike Cahill

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: O Dr. Ian Gray (Michael Pitt) é um cientista que pesquisa sobre a íris ocular. Obcecado por descobrir a origem da visão, ele tenta provar que o desenvolvimento do olho humano faz parte da evolução natural, e não precisaria de um “designer inteligente” – ou seja, uma figura divina para criá-lo. Ele trabalha com a ajuda de sua estagiária Karen (Brit Marling) e de Kenny (Steven Yeun). Um dia, ele conhece Sofi (Astrid Berges-Frisbey), e os dois se apaixonam, apesar da diferença de convicções. A aproximação dos dois fará Ian buscar explicações além da ciência para os mistérios que o olho humano pode guardar.

Uma história interessante que coloca em jogo a ciência e a fé, sem tomar partido. Muitas questões são levantadas, de forma inteligente e intrigante. A ideia central, não é responder nada, mas questionar tudo! Um bom filme, independente da sua crença.

O Protetor

o-protetor_t62068_1_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: The Equilizer

Gênero: Suspense / Policial / Ação

Direção: Antoine Fuqua

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Baseado na série de televisão “The Equalizer” dos anos 1980, o filme apresenta Robert McCall (Denzel Washington), um homem misterioso que costumava trabalhar como oficial da polícia. Motivado pelas injustiças sociais, ele ajuda vítimas e qualquer pessoa em perigo. A protegida da vez é Teri (Chloë Grace Moretz), jovem explorada sexualmente por mafiosos russos.

Quando vi o trailer de “O Protetor” fiquei super empolgada pra assistir. Denzel Washington sempre vale conferir e a história pareceu intrigante. O tom misterioso da atuação do protagonista é muito bom, mas senti falta de um algo mais. Além disso, houve um certo exagero heroico, ele se dá bem não importando quantos vilões tenha que deter. Um bom filme sobre vinganças, com muita violência, mas eu esperava mais.

As 7 Faces do Dr. Lao

as-7-faces-do-dr-lao_t6618_2_jpg_290x478_upscale_q90

Título Original: 7 Faces of Dr. Lao

Gênero: Fantasia

Direção: George Pal

Ano: 1964

País de Origem: EUA

Sinopse: Chinês gentil e idoso (possui 7322 anos), Dr. Lao (Tony Randall) chega em Abalone, Arizona, com seu circo, que tem atrações únicas: o Abominável Homem das Neves, Merlin, Medusa, Pan, Apolônio de Tiana e outros seres fantásticos. Ele constata rapidamente que a cidade é dominada por um rico rancheiro, Clint Stark (Arthur O’Connell), que alega que em 6 meses não haverá água na cidade, pois o aqueduto está quase inutilizado e o conserto seria de US$ 237 mil. Assim Stark propõe comprar toda a cidade e só Ed Cunningham (John Ericson), o dono do jornal local, se opõe à ideia. Mas em poucos dias o Dr. Lao irá alterar a vida dos moradores de Abalone.

Um clássico do cinema fantástico. Os efeitos visuais são compatíveis à época, não espere nada, mas Dr. Lao tem uma simpatia bem humorada que conquista os espectadores e os moradores de Abalone.  O destaque está nos diálogos filosóficos atemporais que passam boas lições de vida.

carolwerner3

2 comentários sobre “Sem Spoilers: filmes de julho

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s