Sem Spoilers: filmes de setembro

Um Sonho Possível

sonho possivelTítulo Original: The Blind Side

Gênero: Drama

Direção: John Lee Hancock

Ano: 2009

País de Origem: EUA

Sinopse: O filme conta a história de Michael Oher (Quinton Aaron), um jovem negro vindo de um lar destruído, que é ajudado por uma família branca, liderada por Leigh Anne (Sandra Bullock) que acredita em seu potencial. Com a ajuda do treinador de futebol, de sua escola e de sua nova família, Oher terá de superar diversos desafios a sua frente, o que também mudará a vida de todos a sua volta.

“- Você está mudando a vida deste garoto.
– Não. Ele que está mudando a minha.”

Revendo pela…sei lá, muitas vezes! “Um Sonho Possível” é um dos meus filmes preferidos. Extremamente emocionante, baseado numa incrível história real de bondade, solidariedade e livre de preconceitos. Todos têm papéis fundamentais e agradam nesse roteiro, mas é a ganhadora do Globo de Ouro e do Oscar de melhor atriz, Sandra Bullock, que leva o filme do início ao fim de forma exemplar, sem forçar. Ela acredita e nos faz acreditar que pode tornar esse sonho possível e nos faz voltar a ter fé na humanidade…nem que seja um pouquinho!

Gilbert Grape – Aprendiz de Sonhador

whats-eating-gilbert-grape-dvd-cover-48Título Original: What’s Eating Gilbert Grape

Gênero: Drama / Romance

Direção: Lasse Halltröm

Ano: 1994

País de Origem: EUA

Sinopse: Numa cidadezinha de interior idílica, vive Gilbert Grape (Johnny Depp), um adolescente aparentemente comum que sustenta a família desde a morte do pai. O peso não é para qualquer um: além das irmãs excêntricas e do irmão deficiente mental (Leonardo DiCaprio), inclui a mãe obesa, que não para de comer desde a morte do marido. Mas a chegada de uma jovem forasteira (Juliette Lewis) dará a Gilbert a possibilidade de, pela primeira vez, fazer suas escolhas.

Outra revisão. Outro preferido, só que a nível master! Não tenho palavras para explicar o quanto esse filme me toca, o quanto os irmãos Gilbert (Depp) e Arnie (DiCaprio) me cativam. Atuações impecáveis dos ainda jovens atores que, hoje, fazem história na indústria do cinema. Pelo papel, DiCaprio recebeu merecidamente sua primeira indicação ao Oscar. Ele se entrega totalmente! Uma história para rir, chorar, refletir e rever infinitamente. Super, super recomendo!

A Corrente do Bem

acorrentedobemTítulo Original: Pay it Forward

Gênero: Drama / Romance

Direção: Mimi Leder

Ano: 2000

País de Origem: EUA

Sinopse: Eugene Simonet (Kevin Spacey), um professor de Estudos Sociais, faz um desafio aos seus alunos em uma de suas aulas: que eles criem algo que possa mudar o mundo. Trevor McKinney (Haley Joel Osment), um de seus alunos e incentivado pelo desafio do professor, cria um novo jogo, chamado “pay it forward”, em que a cada favor que recebe você retribui a três outras pessoas. Surpreendentemente, a idéia funciona, ajudando o próprio Eugene a se desvencilhar de segredos do passado e também a mãe de Trevor, Arlene (Helen Hunt), a encontrar um novo sentido em sua vida.

Outro filme para voltar a ter fé na humanidade e querer fazer o bem altruisticamente. Grandes atores (e aqui eu incluo Kevin Spacey, que geralmente eu não gosto), ótimas atuações e uma história emocionante. Helen Hunt sempre incrível, Haley Joel Osment (o eterno menino de O Sexto Sentido), com então 12 anos, dá um show de interpretação e ainda temos a participação de Jon Bon Jovi!!! Lindo e inspirador.

Ghost – Do Outro Lado da Vida

ghostTítulo Original: Ghost

Gênero: Drama / Romance

Direção: Jerry Zucker

Ano: 1990

País de Origem: EUA

Sinopse: Sam Wheat (Patrick Swayze) e Molly Jensen (Demi Moore) formam um casal muito apaixonado que tem suas vidas destruídas, pois ao voltarem de uma apresentação de “Hamlet” são atacados e Sam é morto. No entanto, seu espírito não vai para o outro plano e decide ajudar Molly, pois ela corre o risco de ser morta e quem comanda a trama é Carl (Tony Goldwyn), o mesmo que tirou sua vida, é que Sam considerava seu melhor amigo. Para poder se comunicar com Molly, ele utiliza Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg), uma médium trambiqueira que consegue ouvi-lo, para desta maneira alertar sua esposa do perigo que corre.

“O verdadeiro amor sempre levamos conosco!”

Os clássicos da Sessão da Tarde da minha infância merecem ser revistos. Sempre! Um filme atemporal que emocionou e continua emocionando, mesmo já sabendo de cor as falas e o que vai acontecer. Uma história de amor que, como já diz o título, vai além da vida e das gerações. A química entre Patrick e Demi, misturada ao toque de humor incrível de Whoopi Goldberg e à trilha sonora emocionante formam a receita de tanto sucesso. E fica a dica para conferir Tony Goldwyn (o psicanalista Dr. Emmett Meridian da 1ª temporada de Dexter, o presidente dos EUA, Fitzgerald III, em Scandal e o pai da Tris, Andrew Prior, em Divergente) em seu primeiro papel de destaque.

Django Livre

django-livre-cartaz-nacional-697x1024Título Original: Django Unchained

Gênero: Aventura

Direção: Quentin Tarantino

Ano: 2012

País de Origem: EUA

Sinopse: Django (Jamie Foxx) é um escravo liberto cujo passado brutal com seus antigos proprietários leva-o ao encontro do caçador de recompensas alemão Dr. King Schultz (Christoph Waltz). Schultz está em busca dos irmãos assassinos Brittle, e somente Django pode levá-lo a eles. O pouco ortodoxo Schultz compra Django com a promessa de libertá-lo quando tiver capturado os irmãos Brittle, vivos ou mortos. Ao realizar seu plano, Schultz libera Django, embora os dois homens decidam continuar juntos. Desta vez, Schultz busca os criminosos mais perigosos do sul dos Estados Unidos com a ajuda de Django. Dotado de um notável talento de caçador, Django tem como objetivo principal encontrar e resgatar Broomhilda (Kerry Washington), sua esposa, que ele não vê desde que ela foi adquirida por outros proprietários, há muitos anos.

A trilha sonora exótica, com clima de western, entrega: é Tarantino! A violência estilizada e a sede de vingança também. É difícil sair imune a um filme tão ousado. É o típico caso de ame ou odeie. Apesar do título, o grande personagem do filme é o carismático e sarcástico Dr. Schultz, interpretado incrivelmente por Christoph Waltz, ganhador do Globo de Ouro, BAFTA e Oscar de melhor ator coadjuvante. Mas claro que Jamie Foxx, Leonardo DiCaprio e, o irreconhecível à primeira vista, Samuel L. Jackson, não deixam a desejar, pelo contrário, complementam o brilhantismo da atuação. As cenas são fortes e com muito sangue, característica do diretor, mas é uma violência bem humorada e, ao mesmo tempo, uma forma interessante de mostrar o retrato da escravidão e do racismo extremo da época. Além de contarmos com o próprio Tarantino atuando em uma cena do filme. Recomendo!

Odeio o Dia dos Namorados

odeio_o_dia_dos_namoradosTítulo Original: Odeio o Dia dos Namorados

Gênero: Comédia

Direção: Roberto Santucci

Ano: 2012

País de Origem: Brasil

Sinopse: Débora (Heloísa Périssé) é uma publicitária que sempre privilegiou a carreira em detrimento de sua vida amorosa. Entretanto, ambas se misturam quando ela precisa trabalhar em uma importante campanha para o Dia dos Namorados cujo cliente é Heitor (Daniel Boaventura), seu ex-namorado, que foi dispensado por ela de forma humilhante. Diante desta situação, ela ainda precisa lidar com a inesperada visita do fantasma de seu amigo Gilberto (Marcelo Saback), que tenta fazer com que ela repense a vida e descubra o que as pessoas realmente pensam dela.

Como eu já falei aqui no Sem Spoilers, filmes brasileiros sempre me deixam com um pé atrás, mas não deixo de assistir alguns deles. Foi o caso do “Odeio o Dia dos Namorados”, que me surpreendeu positivamente! Heloísa Périssé foi um dos motivos para eu dar uma chance a este filme e, como eu previa, me fez rir muito. A história é cheia de clichês, mas é divertida, leve e te faz pensar em como as pessoas te veem, se realmente é como você gostaria que fosse.

Blue Jasmine

blue-jasmine-poster01Título Original: Blue Jasmine

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Woody Allen

Ano: 2013

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma mulher rica (Cate Blanchett) perde todo seu dinheiro e é obrigada a morar em São Francisco com sua irmã (Sally Hawkins), em uma casa muito mais modesta. Ela acaba encontrando um homem na Bay Area que pode resolver seus problemas financeiros, mas antes ela precisa descobrir quem ela é, e precisa aceitar que São Francisco será sua nova casa.

A comédia neurótica ainda se faz presente neste filme de Woody Allen, mas, desta vez, de forma mais dramática. A história em si não tem grandes surpresas, o que surpreende é a atuação de Cate Blanchett. Ela está fantástica! E a história contada com flashbacks deixa tudo mais atrativo e fluente. Uma protagonista egocêntrica, por vezes maldosa, solitária e problemática, provoca no expectador um misto de raiva e pena. Ao lado de sua irmã Ginger, conduzem o filme entre altos e baixos. E as premiações deste ano correram atrás dela, pelo papel de Jasmine, dentre elas, BAFTA, Academy Awards, Globo de Ouro e o cobiçado Oscar de Melhor Atriz.

Música da Alma

the sapphiresTítulo Original: The Sapphires

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Wayne Blair

Ano: 2012

País de Origem: Austrália

Sinopse: 1968 foi o ano que mudou o mundo! E para quatro jovens aborígenes australianas, também foi o ano que mudou suas vidas para sempre. Com um imenso talento musical, elas são descobertas por Dave, um visionário produtor que busca transformar o potencial delas em um grande sucesso das paradas. Com isso, elas formam as Sapphires, grupo vocal de soul music que é convidado para entreter os militares americanos durante a Guerra do Vietnã.

Estava olhando a programação da tv e, quando li a sinopse desse filme, pensei: ah, deve ser mais um filme bobo de descobertas de talentos, com aqueles conhecidos atores medianos. Mesmo assim comecei a assistir e me surpreendi logo de cara: não tinha nenhum ator conhecido (ao menos pra mim) e o clima simplório, de famílias negras e o preconceito transbordando o tornou muito interessante. E quando as meninas começam a cantar, fica muito melhor! Não é uma obra-prima, mas emociona pelo drama familiar e a ótima música soul.

Pearl Harbor

Pearl HarborTítulo Original: Pearl Harbor

Gênero: Drama / Guerra / Romance

Direção: Michael Bay

Ano: 2001

País de Origem: EUA

Sinopse: Pouco antes do bombardeio japonês em Pearl Harbor, dois amigos que são como irmãos, se envolvem de maneira distinta nos eventos que fazem com que os Estados Unidos entrem na 2ª Guerra Mundial. Enquanto que Rafe (Ben Affleck) se apaixona pela enfermeira Evelyn (Kate Beckinsale) e decide se alistar na força americana que lutará na 2ª Guerra Mundial, em Londres, Danny (Josh Hartnett) torna-se piloto da Força Aérea dos Estados Unidos e permanece no país. Após a notícia de que Rafe morrera em um dos combates que travava contra os alemães, Danny e Evelyn se aproximam e terminam se apaixonando.

Revendo pela segunda vez, desde o lançamento nas locadoras, em fita cassete, quando não haviam opções de menu, de mudar o áudio, a legenda e era necessário rebobinar antes de devolver! rs Pra quem esperava um filme de guerra, fiel aos fatos, a crítica caiu em cima. Mas o romance é encantador. Eu adorei!

O Homem de Aço

homemdeaco2cinema10Título Original: Man of Steel

Gênero: Ação / Aventura

Direção: Zack Snyder

Ano: 2013

País de Origem: EUA

Sinopse: Nascido em Krypton, o pequeno Kal-El viveu pouco tempo em seu planeta natal. Percebendo que o planeta estava prestes a entrar em colapso, seu pai (Russell Crowe) o envia ainda bebê em uma nave espacial, rumo ao planeta Terra, e levando com ele importantes informações de seu povo. Contrariado com tal atitude, o General Zod (Michael Shannon) tenta impedir a iniciativa e acaba preso. Já em seu novo lar, a criança foi criada por Jonathan (Kevin Costner) e Martha Kent (Diane Lane), que passaram a chamá-lo de Clark. O tempo passa, seus poderes vão aparecendo e se tornando, de certa forma, um problema, porque isso evidencia que ele não é um ser humano. Já adulto, Clark (Henry Cavill) se vê obrigado a buscar um certo isolamento porque não consegue resistir aos salvamentos das pessoas e sempre precisa sumir do mapa para não criar problemas para seus pais. Mas o terrível Zod conseguiu se libertar e descobriu seu paradeiro. Agora, a humanidade corre perigo e talvez tenha chegado a hora das pessoas conhecerem aqueles que passarão a chamar de o Super-Homem.

“As pessoas têm medo do que elas não conhecem.”

Não sou muito fã de super heróis, mas acredito que o Superman foi o que mais me acompanhou, desde a infância, em filmes, séries e desenhos (em especial o seriado “As Aventuras de Louis e Clark”). O novo Super-Homem, agora chamado de “Homem de Aço”, chegou com uma abordagem diferente e eu gostei muito! As cenas mais ficcionais, cheias de efeitos e destruição foram forçadas e a introdução do filme, em Krypton, um tanto quanto longa, mas os detalhes da emocionante trajetória de Clark, desde a infância, a relação com os pais adotivos e o encontro com a destemida Louis Lane, contados em flashbacks algumas vezes, são ótimos! Um elenco de peso, numa história densa, mas com doses extras de sensibilidade. Destaque para a trilha sonora, com Seasons, do Chris Cornel.

A Busca

abusca_cartaz-cropTítulo Original: A Busca

Gênero: Drama

Direção: Luciano Moura

Ano: 2013

País de Origem: Brasil

Sinopse: Theo Gadelha (Wagner Moura) e Branca (Mariana Lima) são casados e trabalham como médicos. O casal tem um filho, Pedro (Brás Antunes), que desaparece quando está perto de completar 15 anos. Para piorar a situação, Theo fica sabendo que Branca quer se separar dele e que seu mentor (Germano Haiut) está à beira da morte. Theo sai em busca do filho sumido e aproveita a viagem para se redescobrir.

“Quanto menos se tem, menos se perde.”

Mais um filme brasileiro, só que desta vez um drama familiar, muito bem entrelaçado e conduzido pelo ótimo Wagner Moura. Vencedor do Festival de Cinema do Rio como Melhor Filme Ficção pelo voto popular, a história tem alguns trechos nonsense, mas a atuação de Wagner Moura e a profundidade do personagem superam tudo isso e parece que nem estamos diante do padrão Globo Filmes. Ele se entrega ao papel de pai desesperado, que faz tudo para encontrar o filho, onde quer que seja, e, nessa jornada, vai se redescobrindo e mudando a si mesmo. Instigante do início ao fim.

Se Eu Ficar

if-i-stay-poster-2Título Original: If I Stay

Gênero: Drama

Direção: R.J. Cutler

Ano: 2014

País de Origem: EUA

Sinopse: Mia Hall (Chlöe Grace Moretz) é uma prodigiosa musicista que vive a dúvida de ter que decidir entre a dedicação integral à carreira na famosa escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam (Jamie Blackley). Após sofrer um grave acidente de carro, a jovem perde a família e fica à beira da morte. Em coma, ela reflete sobre o passado e sobre o futuro que pode ter, caso sobreviva.

Baseado no best seller de Gayle Forman, “Se Eu Ficar” emociona ao mostrar dilemas fortes e importantes como morte, amor, sonhos e medos. Chlöe Grace Moretz conduz bem a introspectiva protagonista, mas o destaque vai para os pais, Denny (Joshua Leonard) e Kat (Mireille Enos), roqueiros, divertidos e responsáveis pelo humor do filme. O casal agrada muito e tem uma ótima química, que falta um pouco nos jovens Mia e Adam. E a trilha sonora, meio rock, meio clássica, te embalam no decorrer da história, muito bem interligada com cenas do presente e flashbacks. Impossível não chorar!

Sequestro no Espaço

SEQUESTRO NO ESPAÇOTítulo Original: Lockout

Gênero: Suspense / Ação

Direção: James Mather e Stephen St. Leger

Ano: 2012

País de Origem: França / Espanha

Sinopse: Num futuro não muito distante, Snow (Guy Pearce) foi acusado injustamente de conspiração contra o governo americano. Agora, para ter de volta a sua liberdade, ele precisa resgatar Emilie Warnock (Maggie Grace), a filha do presidente das garras de perigosos detentos que a capturaram durante uma rebelião em um presídio espacial. O local é um verdadeiro ninho de serpentes, reunindo centenas de criminosos de alta periculosidade, tornando a missão de Snow um grande e perigoso desafio.

Dei crédito ao filme por causa do Guy Pearce e não me decepcionei! É um total clichê de ação, mas os atores são bons, as cenas convencem e Snow faz piada em todas as situações, o que deixa tudo divertido. Se estiver passando na tv e nada mais agradar, assista! rs

SemSpoilersCarolWerner

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s