Sem spoilers: filmes de abril

Vicky Cristina Barcelona

Vicky_capa

Título Original: Vicky Cristina Barcelona

Gênero: Comédia/Romance

Direção: Woody Alllen

Ano: 2008

País de Origem: EUA / Espanha

Sinopse: Vicky (Rebecca Hall) e Cristina (Scarlet Johansson) são grandes amigas que estão em férias em Barcelona. Vicky procura ser sensata em relação ao amor e está noiva, enquanto que Cristina sempre busca uma nova paixão que possa virar sua cabeça. Um dia, em uma galeria de arte, elas conhecem Juan Antonio (Javier Bardem), um atraente pintor que teve um relacionamento problemático com sua ex, Maria Elena (Penélope Cruz). Ainda naquela noite, durante o jantar, Juan Antonio se aproxima da mesa em que Vicky e Cristina estão, fazendo-lhes a proposta de com ele viajar para Oviedo. Vicky inicialmente a rejeita, mas Cristina aceita de imediato e consegue convencer a amiga a acompanhá-la. É o início do relacionamento conturbado de ambas com Juan Antonio.

“Os relacionamentos não realizados são sempre mais românticos”.

Ótimos atores, em total sintonia, num cenário incrível – Espanha e com o toque diferente da direção de Woody Allen. Tudo é simples e sem novidades, em se tratando de Allen, que sempre prima pelos relacionamentos, em geral, amorosos. É um filme que te conquista, seja pelas paisagens lindíssimas, seja pela sedução de Javier, ou pela beleza notável da Scarlet ou exótica da Penélope, ou ainda pela inteligência nas falas da Rebecca. Com certeza você vai sentir afinidade por algum dos personagens (ou todos! rs), que mostram que nem sempre relacionamentos dão certo, mesmo aqueles que parecem certos.  O que me incomodou foi a música principal do filme, muito cansativa, pois toca toda hora.

Sexo Sem Compromisso

Sexo sem compromissoTítulo Original: No Strings Attached

Gênero: Comédia/Romance

Direção: Ivan Reitman

Ano: 2011

País de Origem: EUA

Sinopse: Natalie Portman interpreta Emma, uma jovem médica solteira e bem resolvida. Sem tempo para encontrar um grande amor, ela conta com Adam (Ashton Kutcher), seu amigo de infância, para dividir histórias e momentos. No entanto, uma transa sem compromisso é o primeiro passo para a transformação dessa amizade.

Emma é a desajustada, que tem medo de se envolver e magoar alguém (ou de se magoar), então prefere uma vida sozinha. Adam é o bonitão atrapalhado que concorda com o relacionamento sem compromisso, mas cada vez mais vai se envolvendo. Até que ponto isso poderia durar? Já vimos isso outras vezes, a história é super clichê, por vezes boba, mas dá pra rir bastante e se afeiçoar pelo casal. Um filme light, sem compromisso. 😉

Medo da Verdade

medodaverdade1Título Original: Gone Baby Gone

Gênero: Drama

Direção: Ben Affleck

Ano: 2007

País de Origem: EUA

Sinopse: Os detetives particulares Patrick Kenzie (Casey Affleck) e Angie Gennaro (Michelle Monaghan) são designados pela família da vítima a investigar o desaparecimento da pequena Amanda McCready (Madeline O’Brien), uma menina de quatro anos e que vive próxima a eles em Boston. A dupla de investigadores, contudo, sofre resistência da polícia, chefiada neste caso por Jack Doyle (Morgan Freeman) e do FBI, representado pelo detetive Remy Bressant (Ed Harris). Quando começam as buscas, eles descobrem que nada no caso é o que parece ser.

Suspense policial que prende muito e necessita atenção aos detalhes. É a adaptação do quarto romance de uma série de cinco aventuras dos detetives Patrick Kenzie e Angela Gennaro, do escritor Dennis Lehane. (Temos outras adaptações deste escritor, fora da série Patrick e Angela: “Sobre Meninos e Lobos”, de Clint Eastwood e “Ilha do Medo”, de Martin Scorsese). Em seu primeiro filme como diretor, Ben Affleck confere um tom diferente do habitual hollywoodiano, com cortes lentos, com uma sensação de continuidade de cena e dos pensamentos dos personagens. Um filme tenso, com reviravoltas surpreendentes e com um final que você fica se questionando o que faria no lugar dele, até que ponto vale pagar o preço de seguir sua consciência e fazer o que é certo.

Se Enlouquecer Não Se Apaixone

Se Enlouquecer Não se ApaixoneTítulo Original: It’s a King of a Funny Story

Gênero: Comédia / Drama

Direção: Anna Boden e Ryan Fleck

Ano: 2010

País de Origem: EUA

Sinopse: São 5 da manhã em um domingo no Blooklin. Craig Gilner (Keir Gilchrist) decide se internar numa clínica psiquiátrica por causa de dramas estressantes que enfrenta ao passar pela adolescência. Na ala adulta, conhece Bobby (Zach Galifianakis), que logo se torna seu mentor e protetor. O garoto também conhece uma jovem, Noelle (Emma Roberts), que o faz esquecer de um antigo amor não correspondido. Com a ajuda de seus familiares e pacientes do hospital, Craig aprende a entender melhor a vida, o amor e as pressões em torno de se tornar adulto.

“Se você não está ocupado nascendo, está ocupado morrendo.” (Bob Dylan)

O filme me fisgou pelos pensamentos de Craig, pois mostra claramente quanta coisa passa pela nossa cabeça e acabamos colocando pra fora só uma pequena parte disso, ou por não saber como verbalizar, ou por achar que os outros não entenderão. E novamente vemos o adolescente desajustado, como Charlie (As Vantagens de Ser Invisível) e Duncan (O Verão da Minha Vida), sofrendo as pressões dos amigos, dos pais, da escola, da sociedade, para ser alguém na vida, conseguir entrar numa faculdade conceituada, fazer parte da tribo. Sensível, divertido e com uma pontinha de reflexão, a história vai te conquistando aos poucos até que, numa aula de música na clínica, Craig, o único sem um instrumento para tocar, é convidado a cantar. A música: Under Pressure, do Queen!!! E na cabeça dele, a singela aula se transforma num show, literalmente! Muito bom!

Quase Famosos

quase-famososTítulo Original: Almost Famous

Gênero: Drama

Direção: Cameron Crowe

Ano: 2000

País de Origem: EUA

Sinopse: A irmã de William (Patrick Fugit), um garoto de 15 anos, resolve sair de casa para fugir do protecionismo da mãe e deixa sua coleção de discos de rock para ele, fazendo com que todas as suas atenções se voltem para a música. Escrevendo matérias sobre isso para um jornal do bairro, ele resolve enviar um dos seus artigos para o editor da revista Creem, Lester Bangs (Philip Seymour Hoffman), que acaba se tornando seu amigo. Ao receber um convite inesperado da revista Rolling Stones e tendo Lester como seu mentor, William parte em sua missão de cobrir a turnê da banda Stillwater e descobre todos os segredos dos bastidores.

Impossível não se envolver pela magia do backstage de uma turnê de rock and roll. Para os fãs do gênero, um filme imperdível! Um retrato da juventude dos anos 70 – inspirada na própria experiência de Crowe, que acompanhou parte da turnê do Led Zeppelin e escreveu para a Rolling Stones – de uma forma um tanto inocente, pois é a representação da visão de jovem de William. Mistura momentos divertidos, dramáticos e emocionantes, com uma incrível trilha sonora. Kate Hudson está ótima no papel de Penny Lane, a groupie extremamente carismática e sensível, ganhadora do Globo de Ouro 2001 de Melhor Atriz Coadjuvante. Além disso, o filme ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original. Um filme leve apesar do tema, da época e da crítica ao show business. Adorei!

Trainspotting – Sem Limites

TrainspottingTítulo Original: Trainspotting

Gênero: Drama

Direção: Danny Boyle

Ano: 1996

País de Origem: Reino Unido

Sinopse: Uma jornada selvagem ao obscuro submundo das drogas de Edimburgo. Em foco, temos Mark Renton (Ewan McGregor) e sua eterna tentativa de abandonar o vício da heroína e com isso afeta suas relações com sua família e amigos – o demente Sick Boy (Johnny Lee Miller), o sombrio Spud (Ewen Bremmer), o maluco Begbie (Roberto Carlyle), a namorada Diane (Kelly McDonald) de apenas 14 anos e o “atleta” Tommy (Kevin McKidd) que nunca tocou em drogas, mas tem uma enorme curiosidade em conhecer. Esse grupo de jovens escoceses mergulha no vício para fugir das banalidades da existência e logo começam a sentir as conseqüências de suas atitudes.

Polêmico. Foi proibido em diversos países pela alegação de promover o uso de drogas. Ao mesmo tempo, foi considerado original pelo retrato ao movimento clubber britânico dos anos 90. O que se sobressai é a ótima atuação de Ewan McGregor, incluindo um sotaque carregadíssimo, a reflexão sobre as escolhas da vida e a trilha sonora impecável dos anos 90. Seria conveniente contextualizar esta crítica, ligar as atitudes desses jovens aos fatos da época, questionar alguns pontos, mas o filme não me interessou a esse ponto. Ponto.

Pegar e Largar

Pegar e LargarTítulo Original: Catch and Release

Gênero: Comédia / Romance

Direção: Susannah Grant

Ano: 2006

País de Origem: EUA

Sinopse: Depois da morte do seu noivo, Gray (Jennifer Garner) se muda para a casa dos melhores amigos do seu falecido amor. Enquanto Sam (Kevin Smith) e Dennis (Sam Jaeger) fazem de tudo para levantar o astral dela, Fritz (Timothy Olyphant) parece não se importar. Quando Gray  consegue derrubar a barreira de Fritz, entretanto, ela finalmente descobre por que o seu noivo gostava tanto do amigo. À medida que eles passam mais tempo juntos, Gray percebe que a sua chance de amar não morreu junto com o noivo. Mas quando algumas visitas aparecem sem avisar, Gray vai precisar da ajuda de todos os seus novos amigos para aprender que a vida pode ser complicada, mas o amor é mais complicado ainda.

Esperava um pouco de “P.S. Eu te Amo”, mas passou longe. Tem alguns momentos bonitinhos, outros divertidos, mas falta emoção e veracidade.

Ilha do Medo

Ilha-do-MedoTítulo Original: Shutter Island

Gênero: Drama / Suspense

Direção: Martin Scorsese

Ano: 2009

País de Origem: EUA

Sinopse: No ano de 1954, os agentes federais Teddy Daniels (Leonardo DiCaprio) e Chuck Aule (Mark Ruffalo) investigam o desaparecimento de uma interna do Hospital Psiquiátrico Ashecliffe. Ao viajarem para a ilha de Shutter – localizada em Massachusetts – para cuidar do caso, eles encontram uma rebelião de presos, devido a um furacão que se aproxima, e ficam impossibilitados de sair da ilha.

Já havia assistido há alguns anos, mas relembrei após saber que foi baseado num livro de Dennis Lehane, mesmo autor de “Gone Baby Gone” (filme “Medo da Verdade”). E como eu sempre digo, filmes bons merecem ser revistos. A surpresa não foi tão grande quanto da primeira vez, sabendo o desfecho, mas agora pude me ater mais aos detalhes. Martin Scorsese e Leonardo DiCaprio formam uma dupla e tanto nessa história de conspiração e paranoia. Um suspense psicológico nada literal, que te faz pensar, refletir, raciocinar e, claro, ter medo. Até que ponto você acredita ou desacredita no detetive Teddy Daniels? Eu prefiro acreditar…rs.

Apenas Uma Noite

lastnight2Título Original: Last Night

Gênero: Drama

Direção: Massy Tadjedin

Ano: 2010

País de Origem: EUA / França

Sinopse: O casal Michael Reed (Sam Worthington) e Joanna Reed (Keira Knightley) passam por um duro momento de crise de fidelidade. Influenciados pela falta de confiança mútua, os dois se separam por uma noite. Michael viaja a trabalho em companhia de uma colega que ele acha muito atraente, Laura (Eva Mendes), enquanto Joanna reencontra Alex (Guillaume Canet), um antigo amor.

Muitas questões sobre relacionamentos e fidelidade são levantadas nesse filme, mas a principal delas é se é possível conhecer realmente uma pessoa? Inclusive nós mesmos? Um roteiro que foge ao óbvio e com uma profundidade que vai além do que simplesmente aconteceu naquele dia em que o casal estava separado. O que um vai querer aceitar ou negar sobre o outro e, principalmente, sobre si mesmo? No elenco, Sam Worthington tem a mesma cara antipática de sempre, Eva Mendes está bem, mas normal, Keira Knightley um pouco irritante no começo, mas logo fica divertida e leve ao encontrar o ator francês Guillaume Canet, este sim o grande frescor do filme e novidade para mim.

Incendiário

IncendiaryTítulo Original: Incendiary

Gênero: Drama

Direção: Sharon Maguire

Ano: 2008

País de Origem: Inglaterra

Sinopse: Baseado no livro homônimo de Chris Cleave , retrata a vida de uma jovem mãe infiel (Michelle Williams) que luta para aceitar a morte de seu marido e filho em um atentado terrorista que acabou com a vida de centenas de pessoas durante um clássico de futebol em Londres. Consumida pela sua dor e remorso, a moça passa a receber atenção e um pouco de conforto de dois homens, seu amante Jasper (Ewan McGregor) e o companheiro de trabalho de seu marido morto, Terrence (Matthew Macfadyen), policial encarregado pela investigação.

Uma história interessante e reflexiva sobre a reação de uma cidade a um ataque terrorista, as consequências pela tomada de certas atitudes e, principalmente, a dor pessoal de quem perdeu alguém próximo. Destaque para a atuação de Michelle Williams, que está totalmente entregue ao papel da mãe em sua dolorosa perda e a perturbante culpa. As tramas paralelas não acrescentam muito, mas a atriz consegue levar bem o filme com sua realista e emotiva personagem.

Chegadas e Partidas     

Chegadas_PartidasTítulo Original: The Shipping News

Gênero: Drama

Direção: Lasse Hallström

Ano: 2001

País de Origem: EUA

Sinopse: Quoyle (Kevin Spacey) resolve retornar à sua terra natal, a pequena cidade pesqueira de Newfoundland, após passar por uma experiência traumática, em que sua esposa Petal (Cate Blanchett) vendeu a filha do casal para uma agência ilegal de adoção. Quoyle consegue um emprego para trabalhar no jornal local, assinando uma coluna própria e, a cada artigo que escreve, a noção que tem da sua própria vida muda, assim como a impressão daquela comunidade. Ele acaba descobrindo segredos de sua família e se envolve com Wavey Prouse (Julianne Moore), uma mãe solteira que guarda seu próprio segredo.

Eu juro que eu tento dar uma chance ao Kevin Spacey, mas está difícil. Já vi filmes bons, apesar dele, mas não é o caso de “Chegadas e Partidas”. Nem a Julianne Moore, que eu adoro, conseguiu salvar a história. Um protagonista totalmente apático e irritante, o que devo confessar é a cara dele, rs. Definitivamente, os personagens não cativam e a história se arrasta cheirando a peixe.

SemSpoilersCarolWerner

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s