Sem spoilers: filmes de fevereiro

O blog acabou de ganhar sua primeira colaboradora **eeeeee** \o/

A Carol é uma ávida consumidora de filmes e sempre trocamos figurinhas por e-mail. Dai surgiu a ideia de ela contribuir com o blog falando sobre isso, é claro. Fiquei muito feliz por ela ter topado.

Então, a partir de hoje, todo mês, ela fará um post aqui no Sobre o Nada para falar sobre todos os filmes que ela viu durante o mês que passou.

Espero que vocês gostem tanto quanto eu e aproveitem as dicas dela! 😉

1947682_10203256274067566_837890958_n

— SEM SPOILERS —

por Caroline Werner

Pegando o gancho do resumo mensal de livros da Fran, pensei: por que não escrever sobre filmes? Ai recebi o convite e cá estou! Não esperem nenhum crítica dura, ou análises profundas, quero apenas passar pro papel (computador) a minha opinião, os meus sentimentos, minhas indicações ou não sobre os filmes vistos durante o mês. Sem spoilers! Espero que curtam!

Drive

DriveTítulo Original: Drive

Gênero: Ação / Suspense

Direção: Nicolas WindingRefn

Ano: 2011

País de Origem: EUA

Sinopse: Ryan Gosling interpreta neste filme um piloto profissional que trabalha em cenas de perseguição de carros em Hollywood. Além disso, ele usa sua habilidade e precisão no volante como motorista em assaltos. Dentro do seu mundo solitário ele conhece Irene (Carrey Mulligan), cujo marido sairá da prisão em poucos dias. Disposto a ajudar essa família a pagar uma antiga dívida, ele se dividirá entre usar todas as suas habilidades para salva-lá ou embarcar em uma fulminante paixão.

É o tipo de filme que se gosta ou não. Sem meio termo. Eu gostei! Tem um “Q” de cinema europeu, aquele ar introspectivo dos cult movies. Ryan Gosling está muito bem no papel do protagonista, um motorista sem nome e de poucas palavras, que faz o que for necessário pelos que ama. Do jeito dele, com suas escolhas e consequências. Um personagem inexpressivo, mas que diz tudo com pequenos gestos e olhares.

É um filme de contrastes, com cenas de ação e violência misturadas a momentos mais dramáticos e, por vezes, românticos. Tudo muito equilibrado.

Adorei as cenas do Ryan e da Carey Mulligan, o jeito que eles se olham, com aquele fundo de tristeza, mas com esperança e um mini sorriso nos lábios…

Para os fãs de Breaking Bad, como eu, Bryan Cranston está no elenco!

Smashed: De volta à realidade

smashed_headerTítulo Original: Smashed

Gênero: Drama

Direção: James Ponsoldt

Ano: 2012

País de Origem: EUA

Sinopse: Kate (Mary Elizabeth Winstead) e Charlie (Aaron Paul) formam um jovem casal apaixonado. Eles compartilham uma paixão pela música, risos e álcool. Com o tempo, Kate desenvolve um comportamento antissocial que compromete seu trabalho como professora. Ela então decide entrar nos Alcoólicos Anônimos e ficar sóbria contando com a ajuda da amiga Jenny, do vice-diretor da escola e do seu marido. Mas nem tudo será fácil nesta jornada, pois essa transformação vai trazer à tona os outros problemas da sua vida.

Não é o alcoolismo que se sobressai, mas o baque da protagonista ao enfrentar a realidade, sóbria, com problemas que ela nem sabia que existiam. Muito realista, daqueles que a gente se coloca no lugar da personagem, vivendo seus dramas e alegrias. Um filme sobre relacionamentos familiares, o que implica a decisão de encarar a vida real e de como é importante ter apoio, nem que seja de estranhos. Tem um clima introspectivo, de reflexão e aquele estilo cult agradável. E no elenco, novamente, um ator de Breaking Bad – Aaron Paul. Assisti por causa dele, mas é Mary Elisabeth Winstead quem rouba a cena.

O que esperar quando você está esperando

O que esperarTítulo Original: What to expect when you’re expecting

Gênero: Comédia / Romance

Direção: Kirk Jones

Ano: 2012

País de Origem: EUA

Sinopse: Uma adaptação do mais vendido e adorado livro sobre gravidez de todo o mundo “O Que Esperar Quando Você Está Esperando” é uma comédia romântica extremamente original que acompanha o relacionamento de quatro casais que experimentam a empolgação, apreensão, humor e os problemas enquanto se preparam para embarcar na maior jornada da vida: a paternidade.

É o estilo comédia J.Lo. Eu gosto! É light, divertido, fácil. E ainda tem o Rodrigo Santoro numa ótima interpretação, não se percebe que ele é brasileiro, está muito em sintonia com o todo. Um filme recheado de atores famosos, com histórias que se cruzam.

Passageiros

PassageirosTítulo Original: Passengers

Gênero: Suspense / Drama

Direção: Rodrigo García

Ano: 2008

País de Origem: EUA

Sinopse: Após um trágico acidente aéreo, a psiquiatra Claire (Anne Hathaway) é designada a tratar dos sobreviventes. Enquanto ouve os relatos de todos e coleta informações do que pode ter acontecido, Claire começa a desconfiar que a empresa aérea esta escondendo algo sobre o acidente. Então decide investigar o acidente com a ajuda de Eric (Patrick Wilson), o mais enigmático dos passageiros. Mas a relação entre os dois se intensifica e vai além do campo profissional. No decorrer do tempo, os sobreviventes começam a desaparecer misteriosamente. Agora a psiquiatra fará o que for preciso para descobrir toda a verdade.

Filmes com a Anne Hathway me agradam muito e esse não foi diferente. Ela é Claire, uma personagem muito interessante que tem que lidar com os traumas dos sobreviventes do desastre e com os seus próprios “traumas”, como o relacionamento distante com a irmã, sair da zona de conforto profissionalmente, abrir seu coração. Além disso, o filme tem um lado investigativo, que dá o suspense à trama, e um final surpreendente. E no elenco, André Braugher, o anjo de “Cidades dos Anjos” (filme que amo!!!) e que tem um papel….interessante. rs Sem spoilers por aqui!

Somos tão Jovens

somostaojovens_filmeTítulo Original: Somos Tão Jovens

Gênero: Drama

Direção: Antonio Carlos da Fontoura

Ano: 2013

País de Origem: Brasil

Sinopse: Somos Tão Jovens conta a emocionante e desafiadora história da transformação de Renato Manfredini Jr. no mito Renato Russo, revelando como um rapaz de Brasília, no final da ditadura, criou canções como “Que País é Este”, “Música Urbana”, “Geração Coca-Cola”, “Eduardo e Mônica” e “Faroeste Caboclo”, verdadeiros hinos da juventude urbana dos anos 80 que continuam a ser cultuadas geração após geração por uma crescente legião de jovens fãs.

Filme bom, mas empolga mais pelas músicas. Destaque mesmo para a interpretação de Thiago Mendonça como Renato, está tal e qual: o jeito, o físico, a voz. Senti falta de um aprofundamento maior na história, mas como contar uma vida tão intensa num único filme?

Motoqueiros Selvagens 

wild-hogs-p01Título Original: Wild Hogs

Gênero: Comédia

Direção: Walt Becker

Ano: 2007

País de Origem: EUA

Sinopse: Bobby (Martin Lawrence), Doug (Tim Allen), Dudley (William H. Macy) e Woody (John Travolta) são amigos veteranos que se vestem como motoqueiros radicais, mas estão um pouco longe disso. No entanto, em busca de aventura, eles resolvem pegar a auto-estrada, mas se metem em encrencas quando encontram uma violenta gangue de motoqueiros do México conhecida como Del Fuegos.

Muitos astros se reúnem nessa aventura que é pura diversão! É um filme família, com boas risadas garantidas. E a trilha sonora é espetacular: Bon Jovi, Lynryd Skynryd, Foghat, Creedence, AC/DC e por ai vai! \m/

Jack Reacher – o último tiro

jack reacherTítulo Original: Jack Reacher

Gênero: Drama / Policial

Direção: Christopher McQuarrie

Ano: 2012

País de Origem: EUA

Sinopse: Um crime brutal foi cometido contra cinco pessoas ao mesmo tempo e um atirador de elite, veterano de guerra, foi acusado pelos assassinatos sem muita chance de defesa. Durante o interrogatório, ele cita apenas o nome de Jack Reacher (Tom Cruise), um ex-combatente com inúmeras condecorações, dado como desaparecido para o governo e autoridades. Só que ele aparece do nada e resolve investigar por conta própria o tal mistério. Sua teoria é que existe uma ligação entre as mortes e o verdadeiro responsável tem outros interesses, procurando desviar a atenção. Só que Jack não desiste da verdade e tem um jeito especial de fazer a sua justiça, doa a quem doer.

Pra quem gosta de ação e, principalmente, suspense e investigação é um prato cheio. Eu adorei! Tom Cruise é o anti-herói, sem lenço e sem documento, sem deixar vestígios, sem regras, mas a favor da justiça e dos inocentes! Cenas impactantes, inteligentes e com um toque de humor fazem que o filme, de 2h10min, passe num piscar de olhos. Mas é melhor não piscar pra não perder nenhum detalhe. É uma adaptação do livro “One Shot”, de Lee Child, como a  Fran já falou aqui.

A Condenação

A CondenaçãoTítulo Original: Conviction

Gênero: Drama

Direção: Tony Goldwyn

Ano: 2010

País de Origem: EUA

Sinopse:: Betty Anne (Hilary Swank ) e Kenny (Sam Rockwell) são irmãos muito unidos desde a infância. Já adultos, Kenny é preso ao ser acusado de ter cometido um terrível assassinato de uma jovem, mas por falta de provas ele é solto. Após alguns anos, o caso vai a tribunal e, com vários depoimentos contra ele, Kenny é condenado à prisão perpétua. Betty Anne sempre acreditou em sua inocência, mas sem dinheiro para pagar um advogado de renome, ela decide voltar a estudar para se formar em Direito, além de cuidar de seus filhos, marido e ainda trabalhar em um bar.

Hilary Swank é mais uma atriz dessa geração que me convence. Nunca tinha ouvido falar nesse filme, mas quando vi que ela é a protagonista, parei pra assistir! O filme é muito bom, baseado em fatos, que retrata como a justiça é cega. Combina muito bem as cenas dos anos 70, 80 e 90, retratando de forma sincera o quão forte é a ligação dos irmãos e, por isso, o quão empenhada está Betty para provar a inocência do irmão, mesmo depois de muitos anos.

Um amor verdadeiro

um amorTítulo Original: One True Thing

Gênero: Drama

Direção: Carl Franklin

Ano: 1998

País de Origem: EUA

Sinopse: Ellen Gulden mora em Nova York, trabalha numa revista e é devotada à sua carreira. Até que sua mãe adoece de câncer e seu pai pede que volte para casa para cuidar da mãe. Ela vai, ainda que não goste da idéia de abandonar sua vida e de ter que conviver com Kate (Maryl Streep), sua mãe, com quem tem pouca afinidade. Kate é uma dona-de-casa alegre que adora trabalhos manuais e a companhia das senhoras da pequena cidade. O pai, George (William Hurt), é um intelectual com pouco tempo para a família, dedicado a seu trabalho de professor. Ver a vida de seus pais com os olhos de adulta fará com que Ellen redescubra sua família.

Apenas bom, sem grandes atrativos, a não ser pela recordista de indicações ao Oscar – Meryl Streep (ela também foi indicada por esse papel). Um drama familiar, do quanto é difícil voltar à convivência familiar depois de ser independente e de como é importante perdoar e compreender certas atitudes. Bem próximo de muitas realidades!

Intocáveis

IntocáveisTítulo Original: Intouchables

Gênero: Drama / Comédia

Direção: Olivier Nakache e Eric Toledano

Ano: 2011

País de Origem: França

Sinopse: Considerado um fenômeno mundial, “Intocáveis” traz a história de Philippe (François Cluzet), um aristocrata que contrata o jovem Driss (Omar Sy) para ser o seu cuidador, após um acidente de parapente, que o deixou tetraplégico. O que era para ser um período experimental acaba virando uma grande aventura. Amizade, companheirismo e confiança são os elementos que transformam esse filme tocante e inesquecível.

Dá série filmes que amamos e merecem ser assistidos infinitamente!!! Esse revi pela 3ª vez (acho…rs). É um dos meus favoritos! Cheio de contrastes, mas em equilíbrio perfeito. Muito fácil ir das lágrimas ao riso. Extremamente emocionante e divertido. É uma história real que tinha tudo pra ser trágica, devido à paralisia do personagem principal (ou o principal seria o Driss?), porém é conduzida de forma leve, por vezes irônica, mas de um jeito encantador. E tem uma trilha sonora incrível, não dá pra perder!

Provavelmente vai ter uma versão hollywoodiana deste filme (imagina se eles iam perder a oportunidade!). Não acho ruim, gosto de ver duas visões sobre o mesmo assunto, como em “Os homens que não amavam as mulheres” (Suécia / EUA).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s