Primavera de esperanças

Era tarde de primavera, mas não havia flores.

Estava frio demais para a época.

O sol lutava para sair e até conseguia deixar alguns raios a vista por entre as nuvens, mas não o suficiente para aquecê-la.

Ondas de vento passavam por ela e arrepiavam-lhe a espinha.

O banco duro do parque também não ajudava muito. Incomodava.

Mas ficou ali até que uma garoa fina começou a cair.

Colocou as pernas para cima do banco, se encolheu abraçando os joelhos e levou o queixo até eles como se assim evitasse se molhar.

O cabelo já estava úmido e começava a grudar na testa enquanto gotas de água percorriam os contornos da face.

Mal se mexia.

Nada a tiraria dali.

Nada menos uma coisa.

Ela esperaria.

Esperaria pelo outono, inverno ou verão.

 

(Pra ouvir enquanto lê: In my veins – Andrew Belle)

Anúncios

4 comentários sobre “Primavera de esperanças

  1. “Colocou as pernas para cima do banco, se encolheu abraçando os joelhos e levou o queixo até eles como se assim evitasse se molhar.”

    Adoro esses detalhes, que me fazem ver a cena com extrema nitidez! Muito lindo Fran! Um fia quero ler um livro seu… ;D

    Bjuuus

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s